fbpx

Como fazer o controle de qualidade de obra?

Qual a importância do controle de qualidade de obra? Como isso faz a diferença no canteiro? Essas são algumas questões que serão respondidas neste texto.

Sempre falamos aqui sobre a complexidade da indústria da construção civil. O controle de qualidade é mais uma forma de fazer com que tudo funcione de maneira prática e eficiente.

Desse modo, existem alguns caminhos que podem e precisam ser tomados para executar esse processo.

Para compreender melhor leia o texto e confira:

A importância do controle de qualidade de obra
Os maiores benefícios do controle de qualidade de obra
Passo a passo do controle de qualidade de obra
Os pilares do controle de qualidade

A importância do controle de qualidade de obra

Ter um controle de qualidade bem executado significa que há grandes chances de você entregar bons projetos. Isso também contribui para as operações de pós-venda de uma empresa. Pensando a longo prazo esse é um investimento que traz muitos benefícios e pode melhorar a imagem da sua empresa no mercado.

Quando não há um controle de qualidade, aumentam as chances de você se depara com problemas de reclamação de clientes, retrabalhos, perda de contratos, multas, além de outras questões. Ou seja, é melhor apostar nessa proposta preventiva, que deve facilitar o seu trabalho.

Além disso, muito mais do evitar problemas, o controle de qualidade possibilita uma construção de marca sólida e bem posicionada, que desperta a confiança dos clientes. Por isso, esse é um processo que precisa de existir constantemente

Mas é preciso considerar as mudanças que ocorrem no mercado da construção civil, uma vez que as soluções também acabam mudando ou se transformando.

Com a importante e constante modernização do setor, novas políticas de segurança e novos padrões normativos que possibilitam a qualidade da obra acabam surgindo e mudando muita coisa em um curto espaço de tempo.

Por isso, é importante ficar atento. Assim você consegue estar alinhado à um método que foi fiscalizado para que as reais demandas do mercado, das pessoas e do meio ambiente sejam atendidas.

O uso de técnicas e estratégias que prezam pelo aumento da produtividade são pontos importantes para gerenciar a qualidade de uma obra.

Uma norma que é considerada relevante na construção civil é o ISSO 9001. Segundo o Sistemas de Gestão de Qualidade (SQG), a ISSO 9001 deve ser considerada desde a contratação de pessoal até a última etapa, (entrega das chaves).

Desse modo, você possibilita a realização de um trabalho de qualidade e, consequentemente, garante a satisfação do cliente.

Os maiores benefícios do controle de qualidade de obra:

  1. Segurança: tanto os colaboradores que trabalham diariamente no canteiro de obra, quanto os moradores do espaço construído, ficam mais seguros quando projeto é executado pensando no controle de qualidade;
  2. Produtividade: como já foi apontado, esse é um dos pontos positivos do uso do controle de qualidade, já que essa proposta quando aplicada da forma correta, resulta no aumento da produtividade de tarefas grande e pequenas;
  3. Agilidade: Entregar no prazo e ter um orçamento em dia deixa de ser uma dificuldade quando existe um controle de qualidade de obra. Um bom sistema de gestão e o uso de boas plataformas facilitam isso;
  4. Qualidade do produto: a ideia do controle, obviamente, tem como um dos objetivos, entregar um produto final que seja capaz de satisfazer o cliente. E é isso que deve acontecer neste caso;
  5. Otimização dos custos: quando o controle de qualidade é aplicado, os investimentos vão para o lugar certo. Não é só sobre corte de gastos, é sobre saber aplicar o valor disponível. O programa também evita desperdícios e compra de materiais ruins, contribuindo para otimizar os custos.

Passo a passo do controle de qualidade de obra

Os benefícios e a importância do controle de qualidade de obra são evidentes. Mas como colocar isso em prática:

1.Adquira um sistema digital de controle de qualidade

É nesse sistema que outras ferramentas da sua gestão de negócios serão integradas. Assim, você consegue ter controle das ações que acontecem no escritório e também daquelas que ocorrem no canteiro de obras.

2.Treine os colaboradores

Para que os colaboradores da empresa consigam compreender e executar bem as ações das ferramentas é necessário capacitá-los para isso. O treinamento é importante até para atualizar o conhecimento com uma frequência maior.

3.Inicie o controle de qualidade durante a realização do serviço

Não espere ter algo pronto para analisar e garantir a qualidade, comece fazendo isso durante a execução dos serviços. Assim, você consegue criar processos claros e oferecer treinamento, materiais e ferramentas que elevam a qualidade do serviço.

4.Estabeleça um grupo de parceiros gabaritados

Entenda quais são os melhores fornecedores, funcionários, prestadores de serviços e até clientes. Isso garante, por exemplo, que os materiais estejam do jeito certo, no horário certo, entre outras coisas.

5.Ajuste os processos em tempo real

Não se acomode em relação aos projetos, busque melhorias em todos os detalhes, para que assim você perceba o problema e consiga ajustar naquele mesmo instante.

Os pilares do controle de qualidade

Como é possível perceber, existem alguns pontos primordiais para fazer o controle de qualidade de obras.

Ter atenção aos fornecedores é um dos pilares mais importantes na hora de pensar na qualidade. Assim, você precisa se atentar a reputação do fornecedor e já fidelizar um que execute um serviço de qualidade com entrega no prazo.

Desse modo, não adianta pensar só no custo-benefício e no lucro. Escolha pela qualidade, e tente pesquisar e entender se está pagando um preço justo pelo material. Confiança e compromisso são as palavras-chave para pensar no fornecedor.

Não esqueça de escolher um bom material também, pois não adianta ter um bom fornecedor, mas a qualidade do material ser ruim.

Para evitar esse tipo de problema, tente seguir a norma NBR 15575 com atenção. Assim, você garante que todos os materiais utilizados estejam no mesmo nível.

O local da armazenagem do material também deve ser considerado, se a intenção é manter a sua qualidade intacta.

Por fim, esteja por dentro da capacidade e características positivas e negativas dos seus colaboradores. Assim, você consegue entender o que será executado com alta qualidade e o que precisa ser repensado, antes que a execução ocorra. Essa é uma função importante do gestor de obra.

Essa mesma regra e cuidado deve ser aplicada aos serviços terceirizados que ocorrem durante a execução da obra. É importante que tudo esteja no mesmo nível qualitativo.

O uso de tecnologias e de diversos sistemas é o que auxilia na gestão do controle de qualidade.

Assim, a supervisão pode ser bem feita em obras de diferentes dimensões, acompanhando diferentes fases do projeto.

Para conhecer uma plataforma que contribui para a execução desse serviço entre em contato por aqui.

Gostou deste conteúdo? Nos siga no instagram e acompanhe tudo sobre esse e outros assuntos.

Engenheiro 4.0: O que esperar desse profissional?

Por que é importante falar sobre o engenheiro 4.0? Antes de responder essa pergunta é importante saber que essa é uma área de grande complexidade. Desse modo, os profissionais do setor também são diversos.

Existem engenheiros com formação em diferentes cursos e que se especializam em diversos assuntos. Assim, esse profissional pode trabalhar com construção civil, infraestrutura, transporte, mecânica, softwares…uma infinidade de áreas mesmo.

Por isso, conhecer as inovações do setor é muito importante para unificar esses profissionais, que apesar de diferentes também possuem conexões. Isso porque todos precisam ficar por dentro das novidades para conseguir se destacar no mercado.

O conceito de Engenheiro 4.0 chega para mudar a rotina dos profissionais e das fábricas. Sendo assim, as empresas terão profissionais mais capacitados e resultados mais otimizados.

Para saber mais sobre o assunto, não deixe de ler esse texto agora!

O que é a indústria 4.0?
As características do engenheiro 4.0
A importância da capacitação em BIM para esse profissional

O que é a indústria 4.0?

Tudo bem que o assunto deste artigo é o engenheiro 4.0, mas para falar sobre esse novo profissional é preciso tratar sobre a indústria 4.0. Você já ouviu falar sobre esse conceito?

Antes de chegar nessa fase industrial, o mundo passou por três grandes revoluções industriais e cada uma delas alterou de forma significativa o modelo de trabalho vigente.

  • 1º Revolução Industrial: provocou a mecanização da produção artesanal;
  • 2º Revolução Industrial: impulsiona a produção em massa;
  • 3º Revolução Industrial: advento da transformação digital e aumento da globalização.

Esses momentos de grandes transformações são bem marcantes para nossa história, certo?! Mas o que marcaria o quarto momento industrial?

A quarta revolução é a era da Internet das Coisas (IoT). Isso porque os sistemas de produção estão cada vez mais modernos, customizáveis e autônomos. Assim, a cadeia produtiva fica mais dinâmica e com os sistemas integrados.

Os três pilares principais da Indústria 4.0 são:

  1. IoT (Internet of Things): A internet agora está muito além dos smartphones e computadores. A conexão está até em fogões e geladeiras, por exemplo. Uma revolução no mercado.
  2. Big Data: Essa tecnologia é o que permite a captura, controle e gerenciamento correto dos milhões de dados gerados a cada minuto. Ou seja, um processo indispensável de captação, processamentos e armazenamento de informações na internet.
  3. Segurança: A necessidade do controle e cuidado com as informações na rede exige políticas de privacidade e segurança. Desse modo, problemas de vazamentos, falhas e invasões deixam de acontecer.

A partir desses três pontos é possível perceber que a indústria tem, de fato, grandes mudanças que são capazes de transformar o mercado provocando uma revolução.

As características do engenheiro 4.0

Agora que já foi explicado o que é a indústria 4.0, fica muito mais fácil compreender o que representa o engenheiro 4.0, certo?!

Com tantas inovações, e até mesmo oscilações, nos processos industriais, surgem novas demandas no mercado de trabalho de diversos setores, inclusive e sobretudo, na construção civil.

Os impactos dessas mudanças alteram desde o processo de planejamento até a análise dos resultados de um projeto de obra. Isso significa que o profissional da construção deve ter algumas características, incluindo ser multidisciplinar.

Não basta uma formação, o Engenheiro 4.0 deve ter também outras habilidades:

  • Boa comunicação interpessoal: essa é uma característica capaz de tornar o profissional ainda mais completo. Isso porque permite que o engenheiro consiga delegar tarefas para diferentes pessoas, informar com clareza , liderar um time e fornecer bons feedbacks.

Além disso, o profissional deve ser empático, transparente, sincero e ter visão empreendedora.

  • Visão analítica: Para dar conta de tudo que envolve o projeto, priorizar e ter cuidados analíticos sobre coisas, processos e pessoas é muito importante. Isso não só com os dados, como também para estudar e entender as principais tendências do mercado.

A análise crítica e entendimento de todos os detalhes do projeto contribui para a produtividade do profissional.

  • Planejamento estratégico: Saber os objetivos que se deseja conquistar é primordial para estruturar um bom planejamento com um cronograma preestabelecido.

Para que isso aconteça, o profissional deve interpretar os dados, gráficos e tabelas a fim de realizar um estudo do mercado para aplicá-lo nos projetos.

  • Atualização constante: O Engenheiro 4.0 é o profissional que se preocupa em se manter relevante e alinhado à todas as novidades que surgem. Sendo assim, buscar cursos além da graduação e ampliar o networking, interagindo com perfis multidisciplinares é essencial.

A importância da capacitação em BIM para esse profissional

O Building Information Modeling, ou BIM, é um método tridimensional e digital que desenvolve sistemas de representação de um projeto arquitetônico. A proposta é levar em consideração as características físicas e funcionais do projeto.

A plataforma pode ser acessada de diferentes dispositivos. Assim, você pode conferir diversas informações do projeto com muita facilidade. Além disso, você pode mensurar orçamentos e outros aspectos do projeto.

Sendo assim, o engenheiro 4.0 precisa ser capacitado nesse quesito. Esse profissional precisa ser um conhecedor do BIM para se destacar na indústria 4.0.

Em geral, pode-se dizer que o engenheiro 4.0 é a modernização do profissional do mercado da construção já existente. De certa maneira, a atualização do conhecimento profissional deveria ocorrer em todas as áreas que mudam constantemente.

Na construção civil, as inovações são muitas, sendo certas vezes revolucionárias, de fato. Portanto, o profissional precisa acompanhar o mercado para conseguir executar as funções que são parte da sua rotina de trabalho.

Você acha que é ou tem trabalhado com um engenheiro 4.0? Se não, o que falta para alcançar esse título? Tente refletir sobre isso e buscar melhorias para ser um profissional de grande sucesso.

Para saber mais sobre esse e outros assuntos, nos acompanhe no instagram.

Mercado Imobiliário em 2022: conheça as principais inovações e tendências do setor para este ano

Uma palavra bem frequente aqui no blog é inovação. Tanto para tratar sobre a indústria da construção quanto para abordar o mercado imobiliário, esse assunto é tendência por aqui. E neste texto sobre o mercado imobiliário em 2022 isso irá se repetir por bons motivos.

Depois de quase dois anos de pandemia, inovar virou sinônimo de sobreviver. Isso mesmo, não é fácil manter um mercado vivo nesse contexto caso ele não se reinvente. Por isso, o uso de novas ferramentas e softwares se torna cada vez mais parte dos processos do setor.

Por isso, neste texto, você confere:

As expectativas do mercado imobiliário em 2022
5 inovações ou tendências do mercado imobiliário em 2022

As expectativas do mercado imobiliário em 2022

Antes de falar sobre 2022, é importante entender que em 2021 o ramo imobiliário conseguiu se restabelecer mesmo em um cenário de pandemia. Assim, as obras deram continuidade no canteiro e a tecnologia seguiu evoluindo para trazer melhorias ao setor.

Com a população sendo vacinada e a retomada da economia, o mercado imobiliário foi um dos poucos motores de crescimento do país, contratando uma quantidade de mão de obra considerável.

Em 2022, a tendência é que esse crescimento continue e se expanda no segundo semestre, mesmo diante da inflação alta e do fato de ser um ano eleitoral, o que costuma provocar dúvidas nos investidores.

Entretanto, os desafios certamente devem existir justamente por conta dos motivos citados acima. A inflação acaba reduzindo o poder e a decisão de compra dos brasileiros, a taxa Selic de 9,25% no final de 2021 mostra a instabilidade econômica.

Ou seja, o custo de crédito deve ser o principal desafio do mercado imobiliário em 2022. Os juros devem começar altos, segundo as estimativas das incorporadoras. Porém, deve se estabilizar após uma redução no segundo semestre, o que impulsiona o desejo de compra do consumidor.

Já as eleições tendem a gerar cautela nos indivíduos com maior poder aquisitivo. Por isso, os corretores precisam saber trabalhar com inteligência, considerando as especificidades de cada público. Mas sem esquecer nunca de manter uma boa divulgação dos imóveis e oferecer um suporte adequado aos clientes.

5 inovações ou tendências do mercado imobiliário em 2022

O contexto de pandemia colaborou para que mudanças de pensamento acontecessem. Desse modo, algumas tendências do mercado são consequência disso, até mesmo porque o home office virou realidade para muitas empresas.

Assim, as pessoas começam a buscar um imóvel apropriado para isso.

Algumas tendências são:

  • Aumento da procura por imóveis maiores e com área de lazer;
  • Preocupação com o meio ambiente ao priorizar imóveis sustentáveis;
  • Desburocratização e digitalização do processo.

Nos últimos anos o aspecto da inovação digital tem se tornado a grande expectativa do mercado. Em 2022 isso não será diferente. As soluções digitais seguirão se destacando, contribuindo para a integração entre o mundo on-line e off-line.

Ferramentas de organização e gerenciamento de tarefas

Organização é fundamental para a rotina de uma imobiliária. Sendo assim, existem diversas ferramentas nesse sentido que podem contribuir para o sucesso da gestão.

Desse modo, em 2022 utilize a tecnologia a favor da organização para metrificar o tempo gasto nas atividades; priorizar as atividades que são mais importantes e entender quando a produtividade funciona melhor. O uso de software ERP e outras plataformas são essenciais para isso.

Já para gerenciar de forma organizada e assertiva a relação com os clientes, é importante utilizar um software CRM de qualidade.
.

Plataformas de automação de marketing

Pensando em otimizar processos a partir da digitalização das funções, as plataformas de automação de marketing são indispensáveis em 2022. Assim, os colaboradores não precisam realizar tarefas repetitivas, contribuindo para a economia de tempo, dinheiro e recursos.

Essas plataformas também costumam ser incorporadas a softwares maiores de CRM, por exemplo, para gerar uma automação ainda mais unificada e eficiente

De todo modo, o objetivo da automação de marketing é: captar leads automaticamente, criar landing pages, agendar publicações em mídias digitais, metrificar índices de marketing e elaborar relatórios práticos de desempenho.
.

Ferramentas de calendário e reuniões virtuais

Se teve uma coisa que aumentou na pandemia foram as reuniões virtuais, não é mesmo?! Por isso, ter plataformas de calendário e reuniões virtuais de qualidade tornou- se essencial nos últimos dois anos e deve continuar assim em 2022, já que o trabalho remoto ou híbrido deve seguir como tendência.

O calendário pode, inclusive, sincronizar com o Google Agenda e ser utilizado junto com a plataforma de meet do Google. Desse modo, você pode agendar visitas, assistência técnica, assinatura de contratos e reuniões por esse espaço.

Nesse último, dependendo da plataforma, você pode já deixar o link da reunião para facilitar e organizar.

Além disso, o calendário notifica com lembretes constantes, que não permitem esquecer da reunião. Desse modo, você pode compartilhar esse lembrete com o time, bem como padronizar a duração dos eventos.

As reuniões virtuais, neste cenário, também seguem aproximando os times, permitindo um contato frequente na rotina de trabalho.

Além disso, o mercado imobiliário conta com sistema online de reuniões para contratar colaboradores de diferentes lugares, estabelecer um contato mais próximo com o cliente e ainda permite gravar reuniões, webinars e eventos online importantes.

Ferramenta de análise de crédito

Esse tipo de inovação ajuda a entender as oportunidades de negócio, a partir do potencial de compra do cliente, portanto é um fator essencial no setor imobiliário, já que os valores variam muito.

Essas plataformas são responsáveis pela simplificação dos processos burocráticos no momento de conferir se o financiamento é viável. Lembrando que essa ferramenta também pode ser integrada a outras plataformas de gestão.

Contato com os clientes: Chatbots e QR Codes

Iniciar e desenvolver uma relação com os clientes é parte mais importante do processo de venda no mercado imobiliário em 2022 e em qualquer outro ano. Sendo assim, diversas ferramentas são testadas para facilitar o início e a construção dessa relação.

O uso de QR Codes em anúncios é uma forma de facilitar o cadastro de contato e direcionar o cliente para visitas virtuais guiadas aos imóveis. Assim, o cliente pode ter mais liberdade nas etapas de compra, locação ou venda.

O Chatbot também contribui para otimizar o início da jornada de compra do cliente. Por incrível que pareça, o uso dos robôs contribui para humanizar o contato entre empresa e cliente.

Isso porque, essa é uma oportunidade de responder aos principais questionamentos dos clientes através de um software de resposta automática. Ele pode aparecer no site como um pop-up, por exemplo. O que permite que a dúvida seja respondida em tempo real, mesmo sem existir uma equipe de atendimento exclusivamente para isso.

Porém, quando é necessário um aprofundamento maior para responder as dúvidas, a própria ferramenta direciona para um time real de pré-atendimento ou atendimento. Desse modo, a equipe só entra em contato quando existem necessidades reais.

E você, tem alguma aposta de tendência para o mercado imobiliário em 2022? Nos conte lá no nosso Instagram (@tcpsistemas).

Desperdício de materiais na construção civil: como evitar?

Apesar da indústria da construção representar uma parcela expressiva na economia do país, o desperdício de materiais na construção civil é um fator preocupante e possui números elevados.

Isso significa que mesmo uma indústria de tamanha importância, ainda executa as suas atividades com falhas no planejamento tendo recursos mal aplicados.

Sendo assim, identificado esse problema, as empresas precisam se preocupar mais com esse gap tão comum no canteiro de obra. Até porque esse desperdício afeta o orçamento, resultando na qualidade do serviço e no atraso do prazo de entrega do projeto.

Por isso, neste texto, você confere:

O Impacto do desperdício de materiais na construção civil
7 dicas para evitar o desperdício de materiais na construção civil

O Impacto do desperdício de materiais na construção civil

Segundo uma pesquisa realizada, a tendência é que o número de materiais desperdiçados na construção civil só aumente até 2025. A estimativa é que sejam produzidas mais 2 bilhões de toneladas no mundo. Dados nada animadores, né?!

Esse número exorbitante afeta diretamente os custos no setor da construção civil. Considerando que assim como em outras áreas, a indústria já deve sofrer os impactos da pandemia, agora mais do que nunca é necessário se atentar ao problema do desperdício de materiais.

Porém, essa é uma questão que, majoritariamente, passa despercebida pelo fato do desperdício não ser contabilizado, assim parece não existir um valor que é perdido. Aço, telhas, tijolos, cimento, areia, pedaços e sobras de madeira são alguns dos materiais desperdiçados na rotina do canteiro de obra.

Além dos danos financeiros, existe uma outra preocupação: o destino desses materiais. Isso porque caso seja destinado de maneira inadequada, há grandes chances de gerar impactos ambientais, resultando inclusive no desperdício de água.

Desse modo, é importante que as empresas consultem as condições legais previstas na Lei n° 12.304/2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos e na Resolução de número 307 do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente).

Sendo assim, o desperdício de obra na construção pode ser considerado um problema em vários níveis, uma vez que interfere na produtividade da obra, no orçamento, nos prazos e ainda na sustentabilidade. Isso interfere diretamente na imagem e nas conquistas de uma empresa.

Entendo todo este cenário e os problemas que ele configura, muitas empresas têm se atentado aos fatos descritos e apostado em medidas que possam reverter essa situação. Dessa forma, a indústria pode trabalhar em prol do crescimento do setor, da empresa, do cuidado com o meio ambiente e, consequentemente, da sociedade.

7 dicas para evitar o desperdício de materiais na construção civil

As empresas da indústria da construção têm sido mais cuidadosas ao permitir que os profissionais envolvidos fiquem por dentro, entendendo mais detalhadamente do projeto e supervisionando as atividades no canteiro de obras.

Em geral, para solucionar esse ponto falho, a indústria precisa investir em melhorias constantes no que tange a qualidade do serviço, o que inclui o aumento das tecnologias de inovação.

Aposte em um planejamento racional

Sempre que possível relembramos aqui a importância do planejamento na construção civil. Quando existe um plano de obra, as atividades são direcionadas e realizadas da forma e no momento correto.

Agora, quando esse plano não é feito de forma racional e estratégica, divergindo da realidade, os desperdícios acabam acontecendo. Pode ser que a matéria-prima seja comprada em uma quantidade além do necessário, ou na data incorreta, por exemplo.

Esse segundo ponto deve ser levado em consideração para evitar que os materiais fiquem expostos no tempo durante muito dias, interferindo em sua qualidade. Já a compra atrasada interfere na produtividade da obra.

Sendo assim, o planejamento é o que pode evitar problemas como esse. Portanto, realize a etapa do planejamento com bastante atenção e cuidado.

Para ter uma visão ampla das necessidades, conte com diferentes profissionais que são parte do projeto no momento de elaboração do planejamento, incluindo além do engenheiro, o mestre de obra e o arquiteto, por exemplo.

Mantenha a organização do canteiro de obras para facilitar a logística

A organização permite que os profissionais entendam o que é material novo e o que foi utilizado. O próprio espaço de armazenagem dos materiais também é importante neste sentido.

Alguns cuidados práticos ajudam a estruturar a organização no canteiro de obras:

  • Empilhe tijolos e telhas para evitar que eles quebrem;
  • Coloque os sacos de cimento e a argamassa afastado de áreas úmidas;
  • Busque transportar os materiais delicados utilizando o carrinho de mão;
  • Considere as medidas necessárias para a realização de cada atividade, para evitar que seja produzido, por exemplo, concreto em excesso.

Seguindo essas dicas, os profissionais conseguem otimizar o manuseio e deslocamento, tanto de pessoas quanto de materiais. Assim, até a gestão do tempo fica mais organizada.

Adote padrões e aposte na transparência

Apesar da indústria da construção civil ser repleta de imprevistos e particularidades, que variam de acordo com cada projeto, busque adotar padrões que contribuam para evitar o desperdício e aproveitar mais o tempo. Quando o profissional já sabe o que fazer em uma atividade, tudo fica mais simples.

A própria comunicação entre os times ajuda a estabelecer esses padrões e fortalecer a transparência entre todos os envolvidos no projeto.

O uso de ferramentas que centralizam as informações em uma só plataforma, que é acessível a todos, fortalece a transparência entres os times. Os softwares ERP e CRM, certamente podem contribuir neste sentido.

Cuidado na elaboração do orçamento

Assim como o planejamento, a construção do orçamento é essencial para evitar desperdícios na construção civil. Destinar um valor em excesso para a compra de um determinado material pode gerar altos custos e ainda resultar em desperdícios.

Portanto, insira no orçamento, apenas o material necessário para que a obra seja executada.

Lean Construction e outras tecnologias para evitar desperdícios na construção civil

Acima foram citadas tecnologias que contribuem para a centralização das informações, mas além dessas, outras plataformas também ajudam a evitar o desperdício na execução de uma obra.

Um software de planejamento também contribui para a construção de um plano mais otimizado que prioriza as tarefas necessárias.

Assim, os gestores conseguem controlar o que está sendo gasto, sendo possível interferir antes que o desperdício, de fato, aconteça. Ou seja, permite uma tomada de decisão mais rápida e assertiva.

O próprio método do Lean Construction fortalece a indústria da construção civil, evitando que desperdícios aconteçam. Isso porque, essa filosofia prioriza as atividades que agregam valor.

Desse modo, desperdícios e processos desnecessários deixam de acontecer. O objetivo do Lean é tornar o fluxo de trabalho mais direto e claro.

As tecnologias móveis também ajudam na rotina diária da empresa, influenciando na comunicação interna, na gestão de obra e, consequentemente, podendo diminuir o desperdício de materiais.

Treinamentos para a mão de obra

Sempre que tratamos sobre desperdício, precisamos tratar sobre conscientização. Muitas vezes os profissionais que lidam diariamente com os materiais não sabem como cuidar de maneira adequada para evitar o desperdício.

Sendo assim, as construtoras e empresas da construção civil, em geral, devem investir no treinamento desses profissionais. Assim, em cursos e palestras, eles podem aprender a otimizar o uso das matérias-primas e descobrir como destinar os resíduos de forma adequada.

A participação destes profissionais no planejamento de obra, também é uma forma deles ficarem mais por dentro desse processo. Isso contribui para o melhor aproveitamento dos materiais.

Cuidar da armazenagem, validade e reciclagem dos materiais

Por fim, as construtoras e gestores devem estar atentos aos cuidados mais específicos dos materiais do canteiro de obras, contribuindo para a realização de um trabalho de qualidade.

Portanto, os colaboradores devem buscar entender as especificações do fabricante de cada material entregue no canteiro. Ou seja, os profissionais devem ler as embalagens dos produtos para garantir o uso consciente e adequado dos materiais.

Desse modo, após uma leitura atenta, além de diversos detalhes é possível observar a garantia de fábrica dos produtos e os prazos de validade. Assim, os insumos podem ser aproveitados no tempo correto e da forma correta, evitando desperdícios.

A armazenagem dos materiais também pode estar indicada nas orientações, uma vez que alguns materiais precisam ser guardados nas condições adequadas de ventilação e umidade, por exemplo.

Entendo que alguns insumos precisam ser descartados, os profissionais precisam saber como fazer isso da melhor forma possível. Isso porque muitos materiais podem ser reaproveitados através da reciclagem. Alguns exemplos são o alumínio e o cobre, além de muitos outros insumos.

Já pensou em como rever os processos da sua empresa para evitar desperdícios? Esse é o momento de fazer isso!

Para saber mais sobre a indústria da construção civil, acompanhe o nosso perfil no instagram.

Customer Success nas incorporadoras: conheça as vantagens do uso desse método

Customer Success nas incorporadoras: conheça as vantagens do uso desse método

Você precisa ir além da venda do produto, você deve fazer clientes. Essa frase resume um pouco a importância do Customer Success nas incorporadoras, ou em qualquer outra área em que essa filosofia seja aplicada.

Ou seja, o primeiro passo para aplicar essa solução é compreender que o cliente é a parte mais importante de todo o processo comercial. Dessa maneira, o Customer Success ou CS surge, justamente, para entender as necessidades desse grupo de indivíduos tão importantes para o sucesso de uma empresa.

Desse modo, na jornada comercial da sua incorporadora coloque o cliente como foco de sua estratégia. Ele deve ser o protagonista, assim o imóvel recebe o papel de coadjuvante, neste caso. Mas um coadjuvante bem importante, vale frisar!

Neste texto, você confere:

O que é o Customer Success ?
As principais estratégias de CS
O Customer Success nas incorporadoras
Onboarding e Ongoing no mercado imobiliário

O que é o Customer Success ?

A estratégia corporativa que em português é conhecida como “Sucesso do Cliente” busca inserir um alto desempenho do consumidor a partir de serviços ou produtos de uma empresa.

Assim, o profissional que trabalha como CS tem o intuito de compreender as necessidades e os desafios que os clientes enfrentam antes, durante e depois da negociação. Apesar dessa ideia não ser tão nova assim, a filosofia só ganhou destaque no Brasil nos últimos anos.

A proposta do Customer Success começou a ser determinado por empresas de SaaS (Software as a Service), portanto pensado para o mercado B2B. No entanto, em pouco tempo foi possível perceber a sua força em outras áreas, inclusive sendo traduzido para o mercado B2C.

Desse modo, a partir da sua implantação a performance do consumidor melhorou consideravelmente. Isso porque a mediação é feita considerando empresa, solução e cliente.

Mas para tudo isso funcionar, o CS deve ser incorporado à cultura da empresa, não apenas ser um setor que atua de maneira isolada. Afinal, essa é a filosofia que vai garantir um bom atendimento e um alto aproveitamento partindo do novo consumidor digital.

Ou seja, essa é uma forma de prezar sempre pela atenção e pelo zelo. Dessa maneira, a empresa pode ter mais chances no mercado, a partir da maior fidelização do cliente. Isso até mesmo em mercados em que as compras não são constantes, como no caso da venda de imóveis.

As principais estratégias de CS

Um passo importante para pensar nas estratégias adequadas é a aplicação da filosofia do Customer Success em diferentes momentos.

Sendo assim, para entender as necessidades dos clientes e compreender quais são as possíveis soluções que podem ser aplicadas no atendimento, elabore questionamentos para toda a jornada.

  1. Na qualificação pergunte para si mesmo quais são os conteúdos mais essenciais para ajudar na jornada de compra do cliente;
  2. Durante a venda busque entender quais são as soluções mais rentáveis e positivas para o cliente. Além disso, tente compreender como o fechamento do contrato pode ser mais prático;
  3. Entenda no pós-venda, qual é a melhor forma de garantir que a experiência do cliente seja tão boa, a ponto de ele querer fazer novos negócios e indicar o seu trabalho.

Essa filosofia empresarial, importante para todo o processo comercial, deve ir além do departamento, atingindo outros setores da empresa.

A Venda Consultiva é uma metodologia que auxilia na estratégia de CS, uma vez que ela se baseia em ouvir os problemas do potencial comprador. Assim, um consultor escuta todos os pontos e sugere soluções práticas de auxílio.

Para realizar esse trabalho é essencial:

  • Pesquisar tudo sobre o cliente antes da reunião;
  • Catalogar as principais dores do cliente;
  • Oferecer boas soluções, indo além do de uma venda de interesse pessoal. Ou seja, quando necessário, aponte outros serviços e produtos que possam trazer soluções;
  • Ouvir todas as problemáticas do consumidor e encontrar meios de solucioná-las;
  • Mostrar os dados para comprovar que a solução é, de fato, eficiente.

O Customer Success nas incorporadoras

Para tratar sobre o CS dentro do mercado imobiliário é necessário entender que existem algumas variáveis, mas a filosofia no fundo é a mesma. A própria venda consultiva já vem sendo aplicada no setor.

As incorporadoras apostam na tentativa de oferecer máxima exclusividade aos clientes. A partir desse formato consultivo, os resultados já começam a aparecer.

Alguns pontos que todo CS deve aplicar ao trabalhar no mercado imobiliário, são os seguintes:

  1. Seja flexível, afinal você está lidando com pessoas em busca da realização de um sonho;
  2. Tenha disponibilidade, já que essa é uma forma de mostrar atenção e evidenciar a importância do cliente para a empresa;
  3. Demonstre interesse nas informações apresentadas pelo cliente e ouça todos os feedbacks que foram apontados. Neste caso, ouvir é entender e trazer soluções;
  4. Atenda com eficiência nos canais de contato oferecidos na negociação ou fechamento de contrato, seja em rede social, ligação, e-mail ou wpp;
  5. Anote tudo que aconteceu durante os contatos em meio a jornada de compra e demonstre conhecer a história e anseios dos clientes.

Onboarding e Ongoing no mercado imobiliário

Esses dois conceitos chave para a proposta do Customer Success também são importantes para a aplicação do método no mercado imobiliário.

Onboarding e Ongoing são propostas estruturadas para a venda de software. O primeiro é o passo inicial do pós-venda. Ou seja, quando a sua empresa deve inserir a plataforma a fim de fazer funcionar e solucionar os problemas dos clientes.

Essa é uma etapa que se configura para educar o cliente sobre como melhor usar a metodologia ou serviço a fim de garantir uma experiência qualificada que agregue valor.

No mercado imobiliário, é nesta etapa que ocorre a entrega das chaves. Mas é importante ir muito além disso para garantir um pós-venda bem realizado.

Desse modo, busque agregar valor ensinando o cliente sobre o funcionamento do imóvel adquirido. E mais do que isso, apresente o bairro em que o espaço está localizado e busque sanar todas as dúvidas sobre o empreendimento.

Após a implementação, inicia a segunda etapa de pós-venda, o Ongoing. Aqui, o profissional de CS deve garantir que tudo está ocorrendo bem para o cliente após a prestação do serviço. Ele deve se mostrar sempre disponível para ajudar.

Ou seja, responda as mensagens em que o cliente questiona sobre alguma dúvida a respeito do funcionamento do imóvel. Além disso, você pode enviar conteúdos que possam interessar o cliente, incluindo dicas de decoração ou como adquirir técnica de manutenção de casa nova.

Em resumo, a filosofia de Customer Success deveria ser uma prioridade de toda empresa, seja ela de pequeno, médio ou grande porte. O cliente deve ser sempre prioridade na condução do processo comercial, isso em qualquer setor.
Para ter acesso a todas as novidades de conteúdo, nos acompanhe no Instagram clicando aqui.

Indicadores na Gestão de Obra: por que eles são tão importantes?

Indicadores na Gestão de Obra: por que eles são tão importantes?

Tudo que faz parte da construção civil possui uma dimensão muito grande. Por isso, os gestores precisam tomar muito cuidado para possibilitar a construção de um bom planejamento e ter o controle de gestão de alta performance.

Porém, para conseguir dimensionar tudo isso, serão necessários indicadores na gestão de obra, certo?!

A indústria da construção civil conta cada vez mais com diversas tecnologias, isso é evidente. Mas ainda assim, o setor é movido por pessoas, a partir de uma mão de obra muito manual e complexa.

Desse modo, a existência de variáveis na execução de diferentes profissionais é inevitável. Isso sem contar os imprevistos e falhas que podem afetar o planejamento.

Por isso, o controle da própria mão de obra, assim como dos fornecedores, orçamentos e cronogramas são essenciais para o sucesso de um projeto. Mas gerenciar e controlar isso tudo não é uma tarefa fácil. Sendo assim, uma forma de entender melhor o projeto é o monitoramento a partir de métricas.

Neste texto você confere:

Os KPIs da construção civil
Gestão de obra ou gestão de empresa?
Descentralização planejada da gestão é importante para obter indicadores na gestão de obra
Como se desenvolve o desempenho de alta performance?
4 aspectos importantes de indicadores na gestão de obra

Os KPIs da construção civil

Key Performance Indicators (KPIs), ou indicadores-chaves de desempenho é o nome dado a necessidade de encontrar métricas de performances, ou seja, a forma de medir algum aspecto do seu negócio. Assim, torna-se muito mais fácil determinar se as coisas estão fluindo como planejado.

Dessa maneira, você pode evitar desde pequenas falhas até grandes problemas. Mas como escolher essa métrica?

Se você gerencia um projeto na construção civil, você precisa saber o que precisa ser medido a fim de evitar frustrações no futuro. Uma KPI não serve necessariamente para qualquer projeto. Isso será determinado a partir da identificação de qual análise é uma necessidade para cada caso.

Para conseguir determinar essa chave com maior facilidade, você pode responder às seguintes perguntas:

Qual será o indicador?
Qual é o objetivo da análise?
Como será o procedimento para colher os dados?
Tem uma fórmula padrão do cálculo?
Com qual periodicidade deve ser realizado?
Quem será o responsável por essa análise?

Após responder essas questões, basta inserir os KPIs organicamente no processo para auxiliar na tomada de decisão do gestor da área. Assim, além de agilizar e otimizar essas escolhas, você saberá quais aspectos devem ser abordados em diálogo com os colaboradores.

Dessa maneira, você pode ter benefícios como aumento de obras executadas, gerenciadas e monitoradas, tudo isso seguindo uma gestão de alta performance. Ou seja, monitorar aspectos chave é essencial para o crescimento do seu negócio.

Diferenciar gestão de obra de gestão de empresas

Mas antes de monitorar tudo isso, existem questões básicas que precisam ser compreendidas e que muitas vezes passam despercebidas. Um exemplo disso é a diferenciação das gestões dentro de uma incorporadora ou construtora.

Porque é comum que as pessoas confundam a gestão de obra com a gestão da empresa como um todo. Porém, a gestão de obra é só um aspecto, muitíssimo importante, para o funcionamento da construtora.

Além da gestão de obra, a empresa precisa cuidar de toda a parte empresarial do negócio. Isso inclui o gerenciamento de marketing, contabilidade, pessoas e outros que variam de acordo com cada empresa.

Todas essas gestões precisam de indicadores específicos para serem monitorados, inclusive precisam existir indicadores na gestão de obra. Por isso, estabeleça esses números que devem ser acompanhados pelos gestores a fim de controlar as atividades no canteiro de obras.

Descentralização planejada da gestão é importante para obter indicadores na gestão de obra

É quase impossível para o gestor de obra ter controle de tudo que acontece no canteiro. Dessa maneira, um caminho para conseguir os resultados desejados é descentralizar a gestão.

Ou seja, quem gerencia o projeto deve planejar e estruturar a coordenação da obra contando com o auxílio de outros colaboradores.

Para conseguir que isso seja feito de maneira efetiva, a gestão precisa apostar no treinamento desses colaboradores. Além disso, deve existir um cuidado ao escolher os líderes e todo o processo de estruturação.

Assim, as atividades precisam ser detalhadas, os objetivos alinhados e as rotinas operacionais também precisam ser estabelecidas em reuniões.

Com mais pessoas controlando a obra torna-se muito mais fácil estabelecer e entender os indicadores da atividade do canteiro de obras. Até para entender como fazer essa descentralização, os indicadores são importantes.

Como se desenvolve o desempenho de alta performance?

Para alcançar performance com qualidade os indicadores também são essenciais. Isso porque quando você identifica os resultados e consegue mensurá-los, as chances de promover as melhorias de cada colaborador é muito maior.

Claro que para isso não basta os indicadores, precisa existir metas, a partir de um planejamento e de um cronograma bem elaborados. Assim, o controle dos resultados acontece de maneira natural.

Desse modo, tendo domínio do projeto e sabendo o que pretende-se alcançar, os gestores conseguem determinar os indicadores potencializando os aspectos positivos de cada um dos colaboradores do time que passa a trabalhar focado em melhorar a sua atuação.

4 aspectos importantes de indicadores na gestão de obra

A partir do que foi falado ao longo do texto, entende-se que os indicadores na gestão de obra são essenciais para melhorar seus resultados. No entanto, para colocar isso em prática no planejamento da empresa é importante estar atento a 4 pilares e indicadores.

  • Prazo: importante para medir o avanço físico da obra, a partir do percentual de planos cumpridos, que ajuda a avaliar e monitorar a execução do projeto de acordo com as metas;
  • Custo: para entender se o que está sendo gasto segue de acordo com o orçamento, o índice de desvio de custo é um KPI importante para medir o desempenho financeiro/econômico do projeto;
  • Qualidade: apesar de não ser tão exato, medir a qualidade do serviço é essencial. Para isso, busque entender o índice de satisfação do cliente e conferir o preenchimento das fichas de verificação de serviço, por exemplo;
  • Segurança: deve ser medida a partir do controle de taxa de acidentes, o uso de equipamentos de proteção individual (EPI) e coletivo (EPC).

Além disso, é importante conferir se todos os profissionais realizaram os treinamentos necessários para colocar em prática as normas de segurança.

Atualmente a tecnologia pode auxiliar no controle de indicadores na gestão de obras, através de uma plataforma ERP, por exemplo. Para entender melhor sobre esse software entre em contato conosco aqui.

Curso para corretor de imóveis e as áreas dentro da profissão

Curso para corretor de imóveis e as áreas dentro da profissão

Você sabia que existe curso para corretor de imóveis? Essa é uma profissão que muitas pessoas não sabem qual é o caminho correto para alcançar o sucesso. Mas como em muitas áreas, a dedicação e o estudo são muito importantes.

Portanto, invista em conhecimento e em curso para corretor de imóveis. Assim, você garante a sua qualidade profissional. Além disso, você pode trabalhar como corretor de imóveis em diferentes áreas. Ou seja, você pode ser uma especialista em uma área de atuação específica.

 É comum pensar a profissão de forma ampla, mas existem várias áreas dentro do universo de corretagem de imóveis, que serão apresentadas ao longo deste texto.  

Qual é o curso para corretor de imóveis?
5 áreas de atuação para um corretor de imóveis

Qual é o curso para corretor de imóveis?

Ser um profissional que atua como corretor de imóveis exige algumas características e entendimentos, como já falamos aqui anteriormente. Mas como também já apontamos aqui, para ter conhecimento sobre área é importante escolher um curso que te prepare para essa responsabilidade.

O ideal é realizar pelo menos um dos cursos a seguir:

  • Curso técnica de Transação Imobiliária;
  • Curso Tecnológico de gestão Imobiliária;
  • Curso de bacharelado em Ciências Imobiliárias: curso completo.

Sendo assim, para atuar nesse mercado não basta só ter vontade e boas habilidades de comunicação, mas sim ter conhecimento e o CRECI em mão. A sigla remete ao Conselhos Regionais de Corretores de Imóveis, documentação necessária para exercer a profissão de corretor de imóveis.

Para conseguir receber os documentos, o profissional precisa ter ensino médio completo, além de ter realizado Curso de Técnico em Transações imobiliárias (TTI).

5 áreas de atuação para corretor de imóveis

Mas além das exigências básicas e da realização de curso para corretor de imóveis que orientam sobre o fazer profissional na área, alguns corretores preferem escolher um caminho mais nichado e específico.

Existem algumas áreas que você pode seguir para ser um corretor de imóveis diferenciado e especialista. Confira algumas das áreas de especialidade do setor. Considere que alguma delas depende de um tipo de curso para corretor de imóveis mais específico.

Avaliação de imóveis – curso para corretores de imóveis

A função de avaliador no mercado imobiliário exige a realização do curso de especialização e da solicitação do registro no Cadastro Nacional de Auditores Independentes – CNAI. Desse modo, após essas duas fases, o corretor pode avaliar propriedades.

Isso significa que o profissional tem toda a base técnica para avaliar o imóvel e garantir que o cliente está fazendo um bom negócio.

O avaliador de imóveis surge a partir da necessidade que um proprietário ou empresa tem de saber por quanto deve vender o imóvel. Ou seja, esse profissional pode ser contratado tanto por pessoas físicas quanto por empresas.

Em geral, o avaliador de imóveis precisa saber sobre: levantamento de informações, procedimento de vistoria, pesquisa de mercado, cálculo e sobre quais são os aspectos que valorizam ou desvalorizam um espaço.

Após uma análise aprofundada, ele deve emitir o Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica – PTAM. Assim, a pessoa ou empresa que precisa vender o imóvel sabe qual é a definição do valor de mercado do seu bem.

Captação

Também chamado de angariador imobiliário, o captador de imóveis tem como função atrair clientes proprietários para a imobiliária. Ou seja, o seu principal objetivo é aumentar o número de imóveis que a incorporadora vai anunciar, negociar e vender.

Para além disso, a parte burocrática da formalização do imóvel e verificação dos documentos necessários para essa formulação, também é uma responsabilidade da captação. Sendo assim, pode-se dizer que o profissional que realiza a captação tem uma importante responsabilidade nas transações imobiliárias.

Sem um bom trabalho do captador de imóveis, fica muito mais difícil garantir a entrada de novas propriedades na carteira do corretor de imóveis.

Administração imobiliária – curso para corretor de imóveis

A locação e administração de imóveis também é um aspecto abordado como tema principal em cursos de especialização para corretor de imóveis. Com essa certificação, o corretor atua na locação, compra e venda dos modelos de contratos.

Desse modo, o profissional tem missões difíceis que inclui:

  • Elaboração de contratos;
  • Cobrança dos aluguéis e outras atividade de gestão a locação;
  • Gestão de condomínio;
  • Ações de despejos;

Ter conhecimento sobre os direitos da vizinhança, leis estaduais e municipais e tributação de imóveis.
O profissional que já tem experiência como corretor deve se sair bem nessa função. Assim, ele contribui até para resolução amigáveis em disputas judiciais e familiares.

Prospector de área

Nesse segmento, o corretor de imóveis terá como responsabilidade a busca por áreas que têm condições de serem utilizadas como loteamento para empresas incorporadoras.

Para trabalhar nessa função é importante entender sobre a ocupação de solo na região de localização do terreno, além de saber sobre a legislação que envolve esse aspecto do solo.

A etapa de prospecção é a largada para muitos projetos de desenvolvimento imobiliários que serão trabalhados a partir disso. Portanto, investir em bons profissionais e na capacitação nessa área é muito importante.

Sem contar que quem trabalha com prospecção pode ter alto rendimento, uma vez que ao garantir um loteamento, você pode ter uma comissão alta. Ou seja, pode ser uma excelente ideia trabalhar com isso.

Mercado de luxo: outra área que um corretor de imóveis pode atuar

Neste caso, a principal diferença é dimensão de tudo que envolve esse mercado. Por isso, o profissional que pretende se especializar no mercado de imóveis de luxo, precisa buscar se especializar nesse segmento. Assim, ele melhora o atendimento ao cliente e passa a entender todos os detalhes sobre esses imóveis.

Mas por que optar por essa área?

Existem algumas características que ajudam a entender porque é interessante trabalhar nessa área. Por exemplo, os valores altos dos imóveis resultam em comissões também mais altas.

Além disso, nesse segmento a criação de network e a possibilidade de ser indicado para outros clientes também tendem a aumentar. A alta qualidade arquitetônica dos imóveis e as transações rápidas, resultado das documentações qualificadas, são outras características vantajosas de trabalhar com o mercado de luxo.

No Brasil, a venda desse tipo de imóvel tem crescido de forma significativa. Por isso, se você ainda não trabalha nessa área, busque estudar sobre esse mercado. Entenda o que caracteriza o adjetivo luxo, que neste caso, envolve localização, arquitetura, lazer, tecnologia, acabamento, além de outras coisas.

Para concluir o texto, pode-se dizer que o segmento imobiliário tem várias áreas de atuação que podem contemplar os seus interesses profissionais enquanto corretor de imóveis.

Para receber outros conteúdos sobre mercado imobiliários, siga o nosso perfil no Instagram (@tcpsistemas).

Por que optar pelo aluguel de equipamentos na construção civil?

Por que optar pelo aluguel de equipamentos na construção civil

O uso de equipamentos pesados e complexos é parte da rotina do canteiro de obras, isso significa que você precisa trabalhar com diversos aparelhos. Mas você sabe qual é a melhor solução? Será que é melhor investir na compra ou no aluguel de equipamentos de construção civil?

Na verdade, não existe uma resposta definitiva para isso, mas é evidente que a locação pode ser essencial em algumas situações. Quando você aluga equipamentos e máquinas, deixando de comprar esses itens, você pode inclusive aumentar a sua lucratividade.

Por isso, neste texto você confere:

Compra ou aluguel de equipamentos na construção civil: qual a melhor escolha?
Os benefícios do aluguel de equipamentos na construção civil
Como alugar equipamento na indústria da construção

Compra ou aluguel de equipamentos na construção civil: o que escolher?

Essa é sempre uma questão, comprar ou alugar uma casa? Comprar um carro ou pedir no app? E no caso da construção civil, quando assunto é esse, também surgem muitas dúvidas.

Não existe necessariamente certo e errado aqui, tudo vai depender de pesquisa, análise e entendimento do que vale a pena para o seu negócio e para a obra em que você está trabalhando.

A compra de equipamentos na construção civil

A escolha pela compra de equipamentos acaba demandando uma análise financeira ainda mais aprofundada, uma vez que esse seria um gasto alto para um escritório da indústria da construção civil. Afinal, além da compra em si, ainda deve existir gastos com a manutenção dos aparelhos.

No caso da compra, antes tudo é preciso que esse seja um investimento a longo prazo, já que o preço do aluguel pago durante anos pode ultrapassar o valor da compra do equipamento.

Além disso, quando você trabalha com um equipamento próprio, isso facilita a estrutura do trabalho, até mesmo porque existe maior conhecimento técnico dos colaboradores com o maquinário.

Porém, existem casos em que a obra demanda várias máquinas semelhantes. Assim, ainda que você tenha uma ou duas, você acaba precisando alugar outras.

Por isso, é tão importante saber sobre esse mercado de locação de máquinas e equipamentos, já que poderá precisar de uma hora pra outra.

O aluguel de equipamentos na construção civil

As estruturas do canteiro de obras são muito variáveis e nem sempre a sua empresa terá os materiais necessários para trabalhar com um método construtivo. Sendo assim, pode-se dizer que essa é uma das diversas situações em que é preciso alugar equipamentos.

Em geral, o aluguel de equipamento é uma boa solução quando:

  1. A sua utilização não acontece com tanta frequência, já que não faz sentido gastar com um equipamento para ele ficar muito tempo parado;
  2. O custo de manutenção é tão alto que a compra acaba sendo um problema que pode culminar em excesso de gastos. Além disso, esses gastos podem ser resultantes do transporte ou até do armazenamento dos materiais;
  3. O método construtivo ou o tamanho da obra demanda estruturas inviáveis para a construtora, assim é preciso alugar os aparelhos necessários.
  4. Surge um equipamento novo no mercado. Assim, a empresa pode testar e avaliar se a comprar é um bom investimento para o futuro.

Os benefícios do aluguel de equipamentos na construção civil

Entendido quais são os critérios que devem ser levados em consideração na hora de alugar ou comprar um equipamento na indústria da construção, chegou o momento de destacar os benefícios dessa escolha.

 

Aumenta a produtividade

Alugar, usar com cuidado, devolver no prazo e realizar o pagamento. Essas são suas obrigações ao alugar um equipamento.

É evidente que a prática de alugar é mais simples e rápida do que a de comprar, certo?! Porque todo o resto do trabalho fica por conta da empresa que você contratou.

Sendo assim, eles irão armazenar, transportar e fazer a manutenção das máquinas e equipamentos. Ou seja, entende-se que é muito mais produtivo optar pelo aluguel, já que assim ao invés de cuidar dessas burocracias os colaboradores podem se dedicar a outros serviços e demandas.

Otimiza os custos

Obras são sinônimos de gastos altos! Todos que trabalham no setor, ou até que eles que costumam pagar por esse tipo de serviço, sabem que essa é a realidade da construção civil. Por isso, conseguir gerenciar os custos é sempre uma prioridade nesse setor.

O aluguel de equipamentos é uma ação que contribui para otimização, já que é possível configurar uma gestão flexível do capital. Ou seja, você pode variar entre investir em aparelhos e materiais próprios que são usados com frequência, e alugar equipamentos que são menos utilizados.

Dessa maneira, o fluxo de caixa da empresa funciona de forma mais eficiente, possibilitando investimentos assertivos que geram maior crescimentos. Além disso, você pode evitar dívidas.

Possibilita ter sempre a melhor tecnologia

A opção pelo aluguel de maquinários possibilita que você sempre tenha o equipamento mais tecnológico do mercado.

Considerando que surgem tecnologias com muita frequência nesse mercado, quando você compra um equipamento pode ser que ele se torne ultrapassado em poucos anos. Assim, como você fez um grande investimento nem sempre é possível trocar por outro equipamentos mais novo.

Em um cenário de transformação digital é preciso estar sempre atento às práticas mais modernas da área no que tange a economia, equipamentos, produtividade, garantias e transporte fácil.

Quando você investe alto comprando um equipamento, nem sempre é possível inovar e adquirir outro mais moderno assim que for lançado. Neste caso, muitas vezes a empresa acaba demorando um pouco para renovar uma tecnologia por conta disso.

Como alugar equipamentos na indústria da construção

Primeiramente, para fazer o aluguel é importante que os colaboradores responsáveis pela obra saibam exatamente quais são os equipamentos utilizados para a realização da obra no canteiro.

Em seguida, basta pesquisar e encontrar um parceiro que ofereça um serviço de qualidade e que possua um valor justo. Antes de fechar o contrato, verifique se a empresa que fornece os equipamentos também realiza o transporte tanto para dentro quanto para fora do canteiro.

Não deixe de pesquisar e investigar sobre a empresa, para entender a segurança e a qualidade dos aparelhos.
Da sua parte, tome cuidado com a gestão da parte financeira ao gerenciar os projetos que necessitam de aluguel de equipamentos. Também é importante se atentar a outros quesitos.

Obedecer às regras da empresa locadora, por exemplo, é essencial para que a parceria seja um sucesso.

E aí, já sabe se deve alugar ou comprar equipamentos para a realização de uma obra? Não? Então pense e analise com muito cuidado.
Enquanto está pensando, acesse o nosso perfil no instagram (@tcpsistemas) e confira outros conteúdos.

Como deve ser a produção de conteúdo de corretores de imóveis nas redes sociais?

Como deve ser a produção de conteúdo de corretores de imóveis nas redes sociais?

O uso das ferramentas digitais tem se tornado cada vez mais uma necessidade para os corretores de imóveis, isso não é uma grande novidade. Mas os corretores de imóveis nas redes sociais acabam não sabendo que tipo de conteúdo produzir para o seu público.

O que poderia ser uma ação até simples acaba não funcionando dessa forma na prática, uma vez que a demanda de conteúdo precisa ser planejada e respeitada para que os resultados apareçam.

Sendo assim, neste post serão apresentadas algumas dicas sobre a presença dos corretores de imóveis nas redes sociais e quais conteúdos devem ser produzidos para engajar pessoas e gerar resultados. Mas saiba que é preciso ir além de fotos pessoais e imagens de imóveis para alcançar osucesso.

Em qual rede social investir?
Qual tipo de conteúdo deve ser produzido pos corretores de imóveis nas redes sociais?

Em qual rede social investir?

A produção de conteúdo digital é um universo muito amplo. Você pode produzir conteúdo em diversos formatos e para diferentes redes. Já falamos aqui sobre como o Instagram pode ajudar a aumentar a venda imobiliária.

Mas existem outras redes importantes, para chegar a uma conclusão é importante entender profundamente para quem você está vendendo o imóvel.

Busque aprimorar a sua lista de contato e entender o que deve causar maior impacto no seu público. Quando você entende que um tipo de apartamento interessa a um público jovem, o instagram ou até o tiktok, podem ser espaços de divulgação.

Agora, se você pretende vender ou alugar um flat para empreendedores e pessoas que mudam por conta da carreira, o linkedin pode ser uma excelente escolha de rede social.

Ou seja, o negócio é estudar o seu público, por isso, a criação de personas é uma ferramenta necessária quando você trabalha com marketing digital.

Além disso, você precisa compreender qual formato reverbera melhor em suas redes. Por exemplo, a produção de vídeo tende a passar maior credibilidade e a imagem real do imóvel.

Sendo assim, um canal youtube pode funcionar, assim como os diversos formatos de vídeos que podem ser publicados no instagram, através dos stories, reels ou feed.

O importante é não ter medo de experimentar diferentes conteúdos, por isso, busque ser criativo sempre que possível e acredite nas suas ideias, independente se são produzidos vídeos, fotos ou textos.

A criação de conteúdo mais extensos também pode ser uma excelente oportunidade para gerar leads qualificados.

Quando você produz blog posts e consegue ranquear bem no google, as chances de você vender mais também aumentam, já que um maior número de pessoas passa a conhecer o seu trabalho.

Assim, basta utilizar as redes sociais para direcionar o seu público para esses textos.

Qual tipo de conteúdo deve ser produzido pelos corretores de imóveis nas redes sociais?

Depois de entender mais sobre o seu público, qual rede social e o formato de conteúdo mais funciona para sua persona, é hora de colocar em prática a produção de conteúdo.

Separamos algumas dicas de assuntos e modelos de conteúdos que costumam funcionar nas redes de corretores de imóveis.

Elabore um checklist para a compra do primeiro imóvel

O modelo de conteúdo em formato em checklist sempre chama bastante a atenção, uma vez que oferece maior praticidade ao futuro cliente. Assim, ao mesmo tempo em que você engaja o público, você estimula o compartilhamento através de um conteúdo simples.

A compra do primeiro imóvel é um assunto que desperta o interesse em muita gente. Até porque se a pessoa nunca fez isso antes, as orientações são sempre bem-vindas.

Mas além disso, você pode criar checklist para listar o que torna a compra de um imóvel assertiva e o que é necessário para comprar um apartamento.

Dicas sobre a região

Quando você está procurando um espaço para morar, é muito natural que você queira saber como funciona a região. Ou seja, as pessoas querem saber sobre segurança, lazer e quais são os serviços oferecidos ao redor do imóvel. Afinal, tudo isso valoriza muito uma região, ou não.

Assim, você pode produzir conteúdo tratando sobre um bairro, uma rua ou uma avenida, mas também pode ser menos específico tratando sobre uma região e até mesmo sobre a cidade.

Frases motivacionais

Tratar sobre as emoções também é um ponto que pode gerar engajamento. Sendo assim, a publicação de frases motivacionais que abordem o sonho como assunto, por exemplo, pode ser uma excelente ideia. Afinal, a compra de um imóvel está sempre associada ao fator sonho.

Memes divertidos

Redes Sociais é sempre sobre memes também. Por isso, apostar em imagens engraçadas e gifs que possam causar identificação na sua persona é sempre uma possibilidade de engajamento válida.

Essa é uma maneira de se aproximar desse público e humanizar as suas ações. Até porque não tem nada melhor do que uma boa risada em conjunto.

Além disso, essas imagens engraçadas tendem a gerar compartilhamento e, consequentemente, ajudam o seu perfil a se tornar mais conhecido e uma autoridade no assunto.

Dicas de decoração imobiliária

Voltando em conteúdos de dicas, a parte decorativa é um assunto válido, sobretudo, para fidelizar o cliente e manter o contato no pós-venda.

Você precisa mostrar ao cliente que se preocupa com toda a sua experiência, por isso oferecer dicas sobre como deixar o ambiente confortável, aconchegante e personalizado é uma forma de estreitar as relações.

Além das próprias dicas de decoração, você pode produzir um conteúdo tratando sobre aplicativos que auxiliam na construção decorativa de um imóvel. São muitas as possibilidades de trabalhar esse assunto.

Não esqueça de inserir muitas fotos nos posts para que o cliente possa se inspirar e pensar em sua própria decoração.
.

Notícias e novidades do mercado

Apresentar informações sobre o mercado em geral também é uma maneira de gerar credibilidade, confiança e se tornar uma autoridade no assunto. Portanto, produza conteúdo sobre a situação do mercado, mas não esqueça de usar uma linguagem acessível e simples.

Além de todos esses conteúdos, você pode dar voz ao cliente descrevendo cases de sucesso. Mas não adianta fazer tudo isso e não analisar os resultados. É muito importante que você e sua equipe verifiquem o que está funcionando através das métricas.

Caso não consiga planejar, produzir e analisar tudo sozinho é importante contratar um consultor de marketing para te auxiliar neste processo.

O que achou deste conteúdo? Nos acompanhe nas redes sociais e receba outras dicas sobre o universo imobiliário, além de outros conteúdos sobre a indústria da construção.

Gestão das construtoras em 2022: como fazer?

Gestão das construtoras em 2022: como fazer?

Depois de dois anos desafiadores, o que esperar e como fazer a gestão das construtoras em 2022?

O último construsummit trouxe dados animadores ao apresentar lições otimistas para o mercado durante as plenárias. Um dos destaques da última edição foi o rumo do cenário macroeconômico. Isso porque a inflação e taxa Selic seguem elevadas.

O evento que aconteceu em 2021 trouxe falas otimistas dos analistas, Ana Maria Castelo (FGV), Ieda Vasconcelos (CBIC), Luiz França (Abrainc) e Rodrigo Navarro (Abramat). Porém, existe muita cautela devido às possíveis variáveis.

O preço dos materiais, por exemplo, é um ponto que deve impactar o mercado durante todo o ano de 2022.

O FGV/IBRE produziu uma análise importante para Sinducon-SP que aponta que aos poucos essa alta vem desacelerando, mas ainda assim o valor dos insumos é um problema para o crescimento do setor nos próximos meses.

De todo modo, as empresas precisam encarar essa situação e pensar em soluções a partir dos dados obtidos, já que o problema é uma realidade. É isso que o presidente da Abramat destaca, que é preciso se basear na estimativa de estabilidade e redução do valor ainda em 2022.

Entendendo esse cenário, afinal qual é a melhor solução para gerenciar as construtoras em 2022? Neste texto serão tratados diversos pontos importantes sobre isso.

Dados:palvra-chave para a gestão das construtoras em 2022
Tecnologia, inovação e digitalização: escolha ou necessidade?
Outros aspectos importantes para a gestão das construtoras em 2022

Dados: palavra-chave para a gestão das construtoras em 2022

Se basear em dados é um dos aspectos fundamentais para garantir a saúde financeira de uma empresa do setor da construção.

Segundo Ramon Roberto Deschamps, gerente de Engenharia e Processos da RDO Empreendimentos, a empresa precisa ter certa maturidade para conseguir usufruir dos dados e para gerar valor e melhoras financeiras, uma vez que não basta ter os dados. Para ter resultados positivos é preciso saber usar os dados.

Já Marcel Rodrigues, CEO da Hinc, reforça que o uso de dados se relaciona com como a construtora percebe e identifica as melhores vantagens para o seu negócio.

Isso tangência com outras características gerenciais como a criação de metas, conhecimento do cliente, além de segurança e assertividade para definição de estratégias e tomadas de decisão.

O diretor executivo do Sienge lembra que uma pesquisa da PwC aponta que o setor da construção gera atualmente 2,5 milhões de terabytes por dia. Porém, a empresa descarta cerca 95,5% desses dados, sendo que 90% são gerados de maneira não estruturada.

Ou seja, as empresas precisam estruturar esses dados para, a partir disso, conseguir gerar oportunidade e garantir melhores resultados como os seguintes.

  • Indicadores financeiros melhores;
  • Logística no canteiro de obras otimizada;
  • Planejamento executivo bem realizado;
  • Orçado e realizado devem ser feitos com a máxima assertividade.

Sendo assim, pode-se entender que os dados podem trazer excelentes vantagens.

Tecnologia, inovação e digitalização: escolha ou necessidade?

Esses três conceitos, que se relacionam diretamente, é cada dia mais parte do setor da construção civil.

O diretor da Soma e Urbanismo comentou na Construssumit que a criação do setor de inovação em sua empresa é uma aposta para o crescimento a longo prazo. Além de ser uma maneira de agregar valor aos clientes.

A inovação não deve ser mais uma escolha para as empresas do setor. Para fazer a gestão de uma construtora hoje, em 2022 ou em outro momento do futuro, é preciso investir em inovação.

Mas como conseguir ser inovador?

Para fazer isso você não precisa necessariamente ser o pioneiro em nada. Como relata o vice-presidente da Tecnisa, Fábio Villas Bôas, esse processo é árduo. Isso significa que você precisa trabalhar muito e, sobretudo, investir em conhecimento para ter uma empresa inovadora.

Está presente em eventos que abordam as experiências no setor, por exemplo, é uma maneira de adquirir conhecimento e manter a competitividade dentro do mercado.

Além disso, pessoas e diversidade são outros aspectos que devem ser levados em consideração se a sua intenção é, de fato, investir em ações inovativas. Existem pesquisas que apontam que empresas que prezam pela diversidade podem ser até seis vezes mais inovadoras.

Isso ocorre porque a diversidade permite que exista várias perspectivas e opiniões sobre qualquer coisa. Quando as pessoas, os pensamentos e comportamentos são diversos as inovações são mais assertivas.

Inovação é uma cultura, em certa medida. Sendo assim, para que isso seja parte da prática da empresa é importante trabalhar também o mindset do time.

Atualmente falar em inovação induz a pensar nas tecnologias e na digitalização do setor, não que uma inovação tem que ser necessariamente frutos desses aspectos.

As plataformas digitais são parte do processo...

A partir das plataformas digitais, as pessoas e as empresas conseguem gerar valor a partir do uso de ferramentas tecnológicas.

Como destaca o gerente de Estratégia e Mercado do Sienge, Guilherme Quandt no Construsummit 2021: “As plataformas vêm ganhando cada vez mais espaço porque integram segmentos e criam ecossistemas. Ou seja, é muito mais do que intermediar negociações”.

Essas plataformas quando bem utilizadas, ou seja, quando se soma ao conhecimento existente sobre o negócio e os clientes, seguirá fundamental na gestão das construtoras em 2022.

Dessa forma, o que se tem é a transformação digital resultando no aumento da produtividade. No entanto, essa não é uma realidade no setor, uma vez que a produtividade na construção civil cresceu apenas 1% nas últimas duas décadas, segundo aponta Glaucia Guarcello, Innovation & Venture Lead Partner da Deloitte.

Sendo assim, o que se entende é que o discurso da transformação digital não é colocado em prática frequentemente. Por isso, existe a necessidade de repensar o paradigma da criação de valor nessa indústria.

A própria digitalização ainda está longe de ser uma unanimidade no mercado. Muitas empresas da construção civil precisam evoluir para se aproveitar das ondas de digitalização no setor.

Porque, como afirma o Chief Strategy Officer (CSO) do Sienge, Fabrício Schveitzer, há pelo menos seis ondas de digitalização no setor.

  • Na gestão e processos de projetos;
  • Nos canteiros;
  • Nos processos de vendas;
  • As novas abordagens construtivas, com foco na gestão do processo e mudança do arranjo produtivo;
  • Modelos de negócios, para buscar criar novas abordagens para o mesmo hardware;
  • As fintechs e novas abordagens financeiras na cadeia construtiva.

Quanto mais tecnologias vão sendo desenvolvidas, novas ondas começam a surgir.

Outros aspectos importantes para a gestão das construtoras em 2022

Durante o Construsummit 2021 muitos assuntos importantes apareceram para refletir sobre como melhorar a gestão das construtoras em 2022. Além do que já foi falado acima, fique de olho nos seguintes pontos:

  1. Integre pessoas,
  2. Ferramentas, dados e todo o ecossistema.Cooperativa das compras de insumos é uma forma de diminuir os prejuízos com o preço alto dos insumos e a falta de materiais no mercado nacional. A Cooperativa da Construção Civil do Estado de Santa Catarina (Coopercon-SC), que realizou a importação de aço, teve bons resultados com esse método de compra.
  3. Se atente aos preços dos materiais e se organize para adquirir em um período de preços mais estáveis.

A partir do evento do Construsummit, da cobertura feita pelo pelo sienge e a colaboração de diversos profissionais da Construção Civil, foi possível pensar um pouco sobre a gestão das construtoras em 2022.

São muitos os desafios, mas é possível superá-los com bastante trabalho e união.

Acompanhe outros conteúdos aqui no blog e no nosso instagram (@tcpsistemas)