fbpx

Mercado Imobiliário em 2022: conheça as principais inovações e tendências do setor para este ano

Uma palavra bem frequente aqui no blog é inovação. Tanto para tratar sobre a indústria da construção quanto para abordar o mercado imobiliário, esse assunto é tendência por aqui. E neste texto sobre o mercado imobiliário em 2022 isso irá se repetir por bons motivos.

Depois de quase dois anos de pandemia, inovar virou sinônimo de sobreviver. Isso mesmo, não é fácil manter um mercado vivo nesse contexto caso ele não se reinvente. Por isso, o uso de novas ferramentas e softwares se torna cada vez mais parte dos processos do setor.

Por isso, neste texto, você confere:

As expectativas do mercado imobiliário em 2022
5 inovações ou tendências do mercado imobiliário em 2022

As expectativas do mercado imobiliário em 2022

Antes de falar sobre 2022, é importante entender que em 2021 o ramo imobiliário conseguiu se restabelecer mesmo em um cenário de pandemia. Assim, as obras deram continuidade no canteiro e a tecnologia seguiu evoluindo para trazer melhorias ao setor.

Com a população sendo vacinada e a retomada da economia, o mercado imobiliário foi um dos poucos motores de crescimento do país, contratando uma quantidade de mão de obra considerável.

Em 2022, a tendência é que esse crescimento continue e se expanda no segundo semestre, mesmo diante da inflação alta e do fato de ser um ano eleitoral, o que costuma provocar dúvidas nos investidores.

Entretanto, os desafios certamente devem existir justamente por conta dos motivos citados acima. A inflação acaba reduzindo o poder e a decisão de compra dos brasileiros, a taxa Selic de 9,25% no final de 2021 mostra a instabilidade econômica.

Ou seja, o custo de crédito deve ser o principal desafio do mercado imobiliário em 2022. Os juros devem começar altos, segundo as estimativas das incorporadoras. Porém, deve se estabilizar após uma redução no segundo semestre, o que impulsiona o desejo de compra do consumidor.

Já as eleições tendem a gerar cautela nos indivíduos com maior poder aquisitivo. Por isso, os corretores precisam saber trabalhar com inteligência, considerando as especificidades de cada público. Mas sem esquecer nunca de manter uma boa divulgação dos imóveis e oferecer um suporte adequado aos clientes.

5 inovações ou tendências do mercado imobiliário em 2022

O contexto de pandemia colaborou para que mudanças de pensamento acontecessem. Desse modo, algumas tendências do mercado são consequência disso, até mesmo porque o home office virou realidade para muitas empresas.

Assim, as pessoas começam a buscar um imóvel apropriado para isso.

Algumas tendências são:

  • Aumento da procura por imóveis maiores e com área de lazer;
  • Preocupação com o meio ambiente ao priorizar imóveis sustentáveis;
  • Desburocratização e digitalização do processo.

Nos últimos anos o aspecto da inovação digital tem se tornado a grande expectativa do mercado. Em 2022 isso não será diferente. As soluções digitais seguirão se destacando, contribuindo para a integração entre o mundo on-line e off-line.

Ferramentas de organização e gerenciamento de tarefas

Organização é fundamental para a rotina de uma imobiliária. Sendo assim, existem diversas ferramentas nesse sentido que podem contribuir para o sucesso da gestão.

Desse modo, em 2022 utilize a tecnologia a favor da organização para metrificar o tempo gasto nas atividades; priorizar as atividades que são mais importantes e entender quando a produtividade funciona melhor. O uso de software ERP e outras plataformas são essenciais para isso.

Já para gerenciar de forma organizada e assertiva a relação com os clientes, é importante utilizar um software CRM de qualidade.
.

Plataformas de automação de marketing

Pensando em otimizar processos a partir da digitalização das funções, as plataformas de automação de marketing são indispensáveis em 2022. Assim, os colaboradores não precisam realizar tarefas repetitivas, contribuindo para a economia de tempo, dinheiro e recursos.

Essas plataformas também costumam ser incorporadas a softwares maiores de CRM, por exemplo, para gerar uma automação ainda mais unificada e eficiente

De todo modo, o objetivo da automação de marketing é: captar leads automaticamente, criar landing pages, agendar publicações em mídias digitais, metrificar índices de marketing e elaborar relatórios práticos de desempenho.
.

Ferramentas de calendário e reuniões virtuais

Se teve uma coisa que aumentou na pandemia foram as reuniões virtuais, não é mesmo?! Por isso, ter plataformas de calendário e reuniões virtuais de qualidade tornou- se essencial nos últimos dois anos e deve continuar assim em 2022, já que o trabalho remoto ou híbrido deve seguir como tendência.

O calendário pode, inclusive, sincronizar com o Google Agenda e ser utilizado junto com a plataforma de meet do Google. Desse modo, você pode agendar visitas, assistência técnica, assinatura de contratos e reuniões por esse espaço.

Nesse último, dependendo da plataforma, você pode já deixar o link da reunião para facilitar e organizar.

Além disso, o calendário notifica com lembretes constantes, que não permitem esquecer da reunião. Desse modo, você pode compartilhar esse lembrete com o time, bem como padronizar a duração dos eventos.

As reuniões virtuais, neste cenário, também seguem aproximando os times, permitindo um contato frequente na rotina de trabalho.

Além disso, o mercado imobiliário conta com sistema online de reuniões para contratar colaboradores de diferentes lugares, estabelecer um contato mais próximo com o cliente e ainda permite gravar reuniões, webinars e eventos online importantes.

Ferramenta de análise de crédito

Esse tipo de inovação ajuda a entender as oportunidades de negócio, a partir do potencial de compra do cliente, portanto é um fator essencial no setor imobiliário, já que os valores variam muito.

Essas plataformas são responsáveis pela simplificação dos processos burocráticos no momento de conferir se o financiamento é viável. Lembrando que essa ferramenta também pode ser integrada a outras plataformas de gestão.

Contato com os clientes: Chatbots e QR Codes

Iniciar e desenvolver uma relação com os clientes é parte mais importante do processo de venda no mercado imobiliário em 2022 e em qualquer outro ano. Sendo assim, diversas ferramentas são testadas para facilitar o início e a construção dessa relação.

O uso de QR Codes em anúncios é uma forma de facilitar o cadastro de contato e direcionar o cliente para visitas virtuais guiadas aos imóveis. Assim, o cliente pode ter mais liberdade nas etapas de compra, locação ou venda.

O Chatbot também contribui para otimizar o início da jornada de compra do cliente. Por incrível que pareça, o uso dos robôs contribui para humanizar o contato entre empresa e cliente.

Isso porque, essa é uma oportunidade de responder aos principais questionamentos dos clientes através de um software de resposta automática. Ele pode aparecer no site como um pop-up, por exemplo. O que permite que a dúvida seja respondida em tempo real, mesmo sem existir uma equipe de atendimento exclusivamente para isso.

Porém, quando é necessário um aprofundamento maior para responder as dúvidas, a própria ferramenta direciona para um time real de pré-atendimento ou atendimento. Desse modo, a equipe só entra em contato quando existem necessidades reais.

E você, tem alguma aposta de tendência para o mercado imobiliário em 2022? Nos conte lá no nosso Instagram (@tcpsistemas).

Gestão das construtoras em 2022: como fazer?

Gestão das construtoras em 2022: como fazer?

Depois de dois anos desafiadores, o que esperar e como fazer a gestão das construtoras em 2022?

O último construsummit trouxe dados animadores ao apresentar lições otimistas para o mercado durante as plenárias. Um dos destaques da última edição foi o rumo do cenário macroeconômico. Isso porque a inflação e taxa Selic seguem elevadas.

O evento que aconteceu em 2021 trouxe falas otimistas dos analistas, Ana Maria Castelo (FGV), Ieda Vasconcelos (CBIC), Luiz França (Abrainc) e Rodrigo Navarro (Abramat). Porém, existe muita cautela devido às possíveis variáveis.

O preço dos materiais, por exemplo, é um ponto que deve impactar o mercado durante todo o ano de 2022.

O FGV/IBRE produziu uma análise importante para Sinducon-SP que aponta que aos poucos essa alta vem desacelerando, mas ainda assim o valor dos insumos é um problema para o crescimento do setor nos próximos meses.

De todo modo, as empresas precisam encarar essa situação e pensar em soluções a partir dos dados obtidos, já que o problema é uma realidade. É isso que o presidente da Abramat destaca, que é preciso se basear na estimativa de estabilidade e redução do valor ainda em 2022.

Entendendo esse cenário, afinal qual é a melhor solução para gerenciar as construtoras em 2022? Neste texto serão tratados diversos pontos importantes sobre isso.

Dados:palvra-chave para a gestão das construtoras em 2022
Tecnologia, inovação e digitalização: escolha ou necessidade?
Outros aspectos importantes para a gestão das construtoras em 2022

Dados: palavra-chave para a gestão das construtoras em 2022

Se basear em dados é um dos aspectos fundamentais para garantir a saúde financeira de uma empresa do setor da construção.

Segundo Ramon Roberto Deschamps, gerente de Engenharia e Processos da RDO Empreendimentos, a empresa precisa ter certa maturidade para conseguir usufruir dos dados e para gerar valor e melhoras financeiras, uma vez que não basta ter os dados. Para ter resultados positivos é preciso saber usar os dados.

Já Marcel Rodrigues, CEO da Hinc, reforça que o uso de dados se relaciona com como a construtora percebe e identifica as melhores vantagens para o seu negócio.

Isso tangência com outras características gerenciais como a criação de metas, conhecimento do cliente, além de segurança e assertividade para definição de estratégias e tomadas de decisão.

O diretor executivo do Sienge lembra que uma pesquisa da PwC aponta que o setor da construção gera atualmente 2,5 milhões de terabytes por dia. Porém, a empresa descarta cerca 95,5% desses dados, sendo que 90% são gerados de maneira não estruturada.

Ou seja, as empresas precisam estruturar esses dados para, a partir disso, conseguir gerar oportunidade e garantir melhores resultados como os seguintes.

  • Indicadores financeiros melhores;
  • Logística no canteiro de obras otimizada;
  • Planejamento executivo bem realizado;
  • Orçado e realizado devem ser feitos com a máxima assertividade.

Sendo assim, pode-se entender que os dados podem trazer excelentes vantagens.

Tecnologia, inovação e digitalização: escolha ou necessidade?

Esses três conceitos, que se relacionam diretamente, é cada dia mais parte do setor da construção civil.

O diretor da Soma e Urbanismo comentou na Construssumit que a criação do setor de inovação em sua empresa é uma aposta para o crescimento a longo prazo. Além de ser uma maneira de agregar valor aos clientes.

A inovação não deve ser mais uma escolha para as empresas do setor. Para fazer a gestão de uma construtora hoje, em 2022 ou em outro momento do futuro, é preciso investir em inovação.

Mas como conseguir ser inovador?

Para fazer isso você não precisa necessariamente ser o pioneiro em nada. Como relata o vice-presidente da Tecnisa, Fábio Villas Bôas, esse processo é árduo. Isso significa que você precisa trabalhar muito e, sobretudo, investir em conhecimento para ter uma empresa inovadora.

Está presente em eventos que abordam as experiências no setor, por exemplo, é uma maneira de adquirir conhecimento e manter a competitividade dentro do mercado.

Além disso, pessoas e diversidade são outros aspectos que devem ser levados em consideração se a sua intenção é, de fato, investir em ações inovativas. Existem pesquisas que apontam que empresas que prezam pela diversidade podem ser até seis vezes mais inovadoras.

Isso ocorre porque a diversidade permite que exista várias perspectivas e opiniões sobre qualquer coisa. Quando as pessoas, os pensamentos e comportamentos são diversos as inovações são mais assertivas.

Inovação é uma cultura, em certa medida. Sendo assim, para que isso seja parte da prática da empresa é importante trabalhar também o mindset do time.

Atualmente falar em inovação induz a pensar nas tecnologias e na digitalização do setor, não que uma inovação tem que ser necessariamente frutos desses aspectos.

As plataformas digitais são parte do processo...

A partir das plataformas digitais, as pessoas e as empresas conseguem gerar valor a partir do uso de ferramentas tecnológicas.

Como destaca o gerente de Estratégia e Mercado do Sienge, Guilherme Quandt no Construsummit 2021: “As plataformas vêm ganhando cada vez mais espaço porque integram segmentos e criam ecossistemas. Ou seja, é muito mais do que intermediar negociações”.

Essas plataformas quando bem utilizadas, ou seja, quando se soma ao conhecimento existente sobre o negócio e os clientes, seguirá fundamental na gestão das construtoras em 2022.

Dessa forma, o que se tem é a transformação digital resultando no aumento da produtividade. No entanto, essa não é uma realidade no setor, uma vez que a produtividade na construção civil cresceu apenas 1% nas últimas duas décadas, segundo aponta Glaucia Guarcello, Innovation & Venture Lead Partner da Deloitte.

Sendo assim, o que se entende é que o discurso da transformação digital não é colocado em prática frequentemente. Por isso, existe a necessidade de repensar o paradigma da criação de valor nessa indústria.

A própria digitalização ainda está longe de ser uma unanimidade no mercado. Muitas empresas da construção civil precisam evoluir para se aproveitar das ondas de digitalização no setor.

Porque, como afirma o Chief Strategy Officer (CSO) do Sienge, Fabrício Schveitzer, há pelo menos seis ondas de digitalização no setor.

  • Na gestão e processos de projetos;
  • Nos canteiros;
  • Nos processos de vendas;
  • As novas abordagens construtivas, com foco na gestão do processo e mudança do arranjo produtivo;
  • Modelos de negócios, para buscar criar novas abordagens para o mesmo hardware;
  • As fintechs e novas abordagens financeiras na cadeia construtiva.

Quanto mais tecnologias vão sendo desenvolvidas, novas ondas começam a surgir.

Outros aspectos importantes para a gestão das construtoras em 2022

Durante o Construsummit 2021 muitos assuntos importantes apareceram para refletir sobre como melhorar a gestão das construtoras em 2022. Além do que já foi falado acima, fique de olho nos seguintes pontos:

  1. Integre pessoas,
  2. Ferramentas, dados e todo o ecossistema.Cooperativa das compras de insumos é uma forma de diminuir os prejuízos com o preço alto dos insumos e a falta de materiais no mercado nacional. A Cooperativa da Construção Civil do Estado de Santa Catarina (Coopercon-SC), que realizou a importação de aço, teve bons resultados com esse método de compra.
  3. Se atente aos preços dos materiais e se organize para adquirir em um período de preços mais estáveis.

A partir do evento do Construsummit, da cobertura feita pelo pelo sienge e a colaboração de diversos profissionais da Construção Civil, foi possível pensar um pouco sobre a gestão das construtoras em 2022.

São muitos os desafios, mas é possível superá-los com bastante trabalho e união.

Acompanhe outros conteúdos aqui no blog e no nosso instagram (@tcpsistemas)