fbpx

Indicadores na Gestão de Obra: por que eles são tão importantes?

Indicadores na Gestão de Obra: por que eles são tão importantes?

Tudo que faz parte da construção civil possui uma dimensão muito grande. Por isso, os gestores precisam tomar muito cuidado para possibilitar a construção de um bom planejamento e ter o controle de gestão de alta performance.

Porém, para conseguir dimensionar tudo isso, serão necessários indicadores na gestão de obra, certo?!

A indústria da construção civil conta cada vez mais com diversas tecnologias, isso é evidente. Mas ainda assim, o setor é movido por pessoas, a partir de uma mão de obra muito manual e complexa.

Desse modo, a existência de variáveis na execução de diferentes profissionais é inevitável. Isso sem contar os imprevistos e falhas que podem afetar o planejamento.

Por isso, o controle da própria mão de obra, assim como dos fornecedores, orçamentos e cronogramas são essenciais para o sucesso de um projeto. Mas gerenciar e controlar isso tudo não é uma tarefa fácil. Sendo assim, uma forma de entender melhor o projeto é o monitoramento a partir de métricas.

Neste texto você confere:

Os KPIs da construção civil
Gestão de obra ou gestão de empresa?
Descentralização planejada da gestão é importante para obter indicadores na gestão de obra
Como se desenvolve o desempenho de alta performance?
4 aspectos importantes de indicadores na gestão de obra

Os KPIs da construção civil

Key Performance Indicators (KPIs), ou indicadores-chaves de desempenho é o nome dado a necessidade de encontrar métricas de performances, ou seja, a forma de medir algum aspecto do seu negócio. Assim, torna-se muito mais fácil determinar se as coisas estão fluindo como planejado.

Dessa maneira, você pode evitar desde pequenas falhas até grandes problemas. Mas como escolher essa métrica?

Se você gerencia um projeto na construção civil, você precisa saber o que precisa ser medido a fim de evitar frustrações no futuro. Uma KPI não serve necessariamente para qualquer projeto. Isso será determinado a partir da identificação de qual análise é uma necessidade para cada caso.

Para conseguir determinar essa chave com maior facilidade, você pode responder às seguintes perguntas:

Qual será o indicador?
Qual é o objetivo da análise?
Como será o procedimento para colher os dados?
Tem uma fórmula padrão do cálculo?
Com qual periodicidade deve ser realizado?
Quem será o responsável por essa análise?

Após responder essas questões, basta inserir os KPIs organicamente no processo para auxiliar na tomada de decisão do gestor da área. Assim, além de agilizar e otimizar essas escolhas, você saberá quais aspectos devem ser abordados em diálogo com os colaboradores.

Dessa maneira, você pode ter benefícios como aumento de obras executadas, gerenciadas e monitoradas, tudo isso seguindo uma gestão de alta performance. Ou seja, monitorar aspectos chave é essencial para o crescimento do seu negócio.

Diferenciar gestão de obra de gestão de empresas

Mas antes de monitorar tudo isso, existem questões básicas que precisam ser compreendidas e que muitas vezes passam despercebidas. Um exemplo disso é a diferenciação das gestões dentro de uma incorporadora ou construtora.

Porque é comum que as pessoas confundam a gestão de obra com a gestão da empresa como um todo. Porém, a gestão de obra é só um aspecto, muitíssimo importante, para o funcionamento da construtora.

Além da gestão de obra, a empresa precisa cuidar de toda a parte empresarial do negócio. Isso inclui o gerenciamento de marketing, contabilidade, pessoas e outros que variam de acordo com cada empresa.

Todas essas gestões precisam de indicadores específicos para serem monitorados, inclusive precisam existir indicadores na gestão de obra. Por isso, estabeleça esses números que devem ser acompanhados pelos gestores a fim de controlar as atividades no canteiro de obras.

Descentralização planejada da gestão é importante para obter indicadores na gestão de obra

É quase impossível para o gestor de obra ter controle de tudo que acontece no canteiro. Dessa maneira, um caminho para conseguir os resultados desejados é descentralizar a gestão.

Ou seja, quem gerencia o projeto deve planejar e estruturar a coordenação da obra contando com o auxílio de outros colaboradores.

Para conseguir que isso seja feito de maneira efetiva, a gestão precisa apostar no treinamento desses colaboradores. Além disso, deve existir um cuidado ao escolher os líderes e todo o processo de estruturação.

Assim, as atividades precisam ser detalhadas, os objetivos alinhados e as rotinas operacionais também precisam ser estabelecidas em reuniões.

Com mais pessoas controlando a obra torna-se muito mais fácil estabelecer e entender os indicadores da atividade do canteiro de obras. Até para entender como fazer essa descentralização, os indicadores são importantes.

Como se desenvolve o desempenho de alta performance?

Para alcançar performance com qualidade os indicadores também são essenciais. Isso porque quando você identifica os resultados e consegue mensurá-los, as chances de promover as melhorias de cada colaborador é muito maior.

Claro que para isso não basta os indicadores, precisa existir metas, a partir de um planejamento e de um cronograma bem elaborados. Assim, o controle dos resultados acontece de maneira natural.

Desse modo, tendo domínio do projeto e sabendo o que pretende-se alcançar, os gestores conseguem determinar os indicadores potencializando os aspectos positivos de cada um dos colaboradores do time que passa a trabalhar focado em melhorar a sua atuação.

4 aspectos importantes de indicadores na gestão de obra

A partir do que foi falado ao longo do texto, entende-se que os indicadores na gestão de obra são essenciais para melhorar seus resultados. No entanto, para colocar isso em prática no planejamento da empresa é importante estar atento a 4 pilares e indicadores.

  • Prazo: importante para medir o avanço físico da obra, a partir do percentual de planos cumpridos, que ajuda a avaliar e monitorar a execução do projeto de acordo com as metas;
  • Custo: para entender se o que está sendo gasto segue de acordo com o orçamento, o índice de desvio de custo é um KPI importante para medir o desempenho financeiro/econômico do projeto;
  • Qualidade: apesar de não ser tão exato, medir a qualidade do serviço é essencial. Para isso, busque entender o índice de satisfação do cliente e conferir o preenchimento das fichas de verificação de serviço, por exemplo;
  • Segurança: deve ser medida a partir do controle de taxa de acidentes, o uso de equipamentos de proteção individual (EPI) e coletivo (EPC).

Além disso, é importante conferir se todos os profissionais realizaram os treinamentos necessários para colocar em prática as normas de segurança.

Atualmente a tecnologia pode auxiliar no controle de indicadores na gestão de obras, através de uma plataforma ERP, por exemplo. Para entender melhor sobre esse software entre em contato conosco aqui.

Como realizar uma boa Gestão de Custo de Obra?

Como realizar uma boa Gestão de Custo de Obra?

Orçamento, planejamento e controle são as palavras de ordem quando estamos falando de gestão de custos de obras. Esse é um processo extremamente importante para a administração de uma obra na indústria da construção.

Dividido em macro e micro processos, a gestão de uma obra exige cuidados em vários aspectos para garantir que se cumpra  o que foi planejado.

Além da gestão de custos, existem outros três processos macros, considerados importantes: gestão do projeto, gestão de pessoas e gestão de documentos.

Porém, neste texto, o nosso foco será abordar as melhores maneiras de realizar uma boa gestão de custo de obra. Assim, apontaremos como fazer um bom planejamento!

A importância de um orçamento de obra bem feito

A gestão de custo de obra engloba várias áreas de uma empresa do setor da construção. Por isso, para conseguir alcançar os resultados almejados é necessário trabalhar em equipe e seguir processos.

O orçamento é o primeiro passo rumo a um excelente gerenciamento de custo, que surge após a avaliação da viabilidade da obra. Sendo assim, antes de definir o valor da obra é preciso fazer o cálculo para estimar tais custos, a partir dos itens necessários para a sua realização.

Esse processo orçamentário, se inicia desde da concepção do projeto de construção e só se encerra quando a edificação é finalizada.

Mas o que eu devo inserir no meu orçamento de obra?

Basicamente tudo que será gasto naquela obra, o custo de cada parafuso precisa ser contabilizado, pois é o orçamento que irá definir o preço base da construção, permitindo entender a viabilidade para a sua efetivação.

Dessa forma, é importante detalhar a quantidade de insumos, profissionais e equipamentos que serão necessários para que seja possível orçar o valor de cada um desses detalhes.

Quando não ocorre uma análise eficaz dos custos, as chances de suceder problemas com o orçamento são altas.

Diferente disso, ao determinar os gastos de cada ponto dentro de um projeto fica mais fácil entender o que possui um bom custo-benefício, facilitando assim, a substituição de materiais e processos que não favorecem as margens de lucro. Claro que cada tomada de decisão, também deve levar em conta a qualidade final da entrega do projeto.

O orçamento de obras pode ser dividido em três fases:

  1. Estudo das variáveis: engloba o levantamento de todos os custos, o que vai da documentação necessária à contratação dos profissionais responsáveis pelo projeto;
  2. Composição de custos: etapa em que se calcula o quantitativo de todos os custos , sejam eles diretos (relacionado aos gastos no canteiro de obra), ou indiretos (despesas que possibilitam o funcionamento no campo – como gastos com funcionários e com questões administrativas);
  3. Fechamento do orçamento de obras: fase em que são determinadas questões ligadas à lucratividade desejada, considerando as noções de risco, mercado imobiliário e concorrência.
Tendo em mãos o orçamento pronto, você consegue projetar os possíveis cenários e se planejar para agir da maneira mais coerente em cada um deles, não perdendo o controle do projeto.

Realizando um bom planejamento de custo de obra

Elaborar um planejamento adequado é uma premissa mais do que necessária em todos os projetos da Construção Civil, mas será que sempre os gestores seguem esse planejamento?

Sabemos que na realidade é muito mais difícil do que parece botar o planejamento em prática, vamos relaxando aqui e ali, e quando percebemos não seguimos nada do planejamento.

Porém, quando isso acontece, existe uma grande possibilidade de você não alcançar um resultado final satisfatório.

O planejamento é muito importante para gerar uma visão até de possíveis problemas que possam vir a acontecer, facilitando a visualização das oportunidades, assim como a tomada de decisões mais assertivas em cada cenário.

Dessa maneira, o processo do planejamento tem como objetivo garantir uma construção de qualidade, a segurança dos profissionais envolvidos na obra, além da redução de desperdícios financeiros e dos materiais.

Para que isso ocorra, o gestor deve gerenciar os recursos, a equipe e o tempo da obra de acordo com que foi orçado e planejado. Sendo assim, é essencial que esse gestor entenda como os processos funcionam.

Uma vez que você consegue seguir o planejamento tudo tende a fluir melhor. Por isso, tente seguir um passo a passo bem estabelecido para colocar em prática o planejamento realizado.

Checklist planejamento de obra

Como realizar uma boa Gestão de Custo de Obra?
Checklist planejamento de obra

Existem alguns pontos que podem te orientar na parte de formulação do planejamento e da viabilidade de obra.

  • Verifique os equipamentos e ferramentas que serão utilizados
  • Tenha sempre em mãos o cálculo de orçamento de obra;
  • Calcule o custo para execução da fundação e preparação do terreno;
  • Calcule custos de terceirização e/ou contratação de mão de obra;
  • Defina os prazos para cada etapa da obra até o momento da entrega;
  • Defina a taxa de remuneração da construtora;
  • Calcule os custos dos projetos arquitetônicos, estrutural, elétrico, hidrossanitário, prevenção de incêndio, ambiental e da regularização e licenciamento de obra;
  • Veja as possibilidades de financiamento e condições de pagamento;
  • Organize o cronograma de Obra;
  • Faça o cálculo de Retorno de Investimento (ROI) e de BDI;
  • Tenha um planejamento de vendas definido.

Como ter controle no gerenciamento de custo de obra?

Gerenciar qualquer parte no setor da construção civil é muito desafiador, já que controlar todos os processos e garantir bons índices de produtividade não é uma tarefa nada fácil.

Desde do desperdício de matéria prima à perda de tempo e dinheiro, nessa indústria as falhas são constantes, e quando não há um controle muito efetivo a tendência é culminar em uma sequência de problemas e prejuízos.

Sendo assim, o gestor de uma obra precisa estabelecer um controle dos custos, a partir do orçamento. Ou seja, na hora da contratação de profissionais, locação de equipamentos e compras de materiais é necessário tomar decisões baseadas em dados reais, respeitando o que foi planejado.

Depois que uma obra começa, são vários os processos que ocorrem de forma simultânea, o que inclui, área de compra de materiais, fechamento de contrato com empreiteiros, locar equipamentos, definir se contratará mão de obra própria ou terceirizada. Enfim, são muitos detalhes.

Além disso, temos que considerar que existem fatores que fogem do controle. Questões que envolvem o tempo, como a chuva e o vento, por exemplo, constantemente culminam em perda de insumos ou em alterações no cronograma da obra.

Dessa maneira, torna-se necessário tomar alguns cuidados até para conseguir garantir que, mesmo com os contratempos, o resultado final seja satisfatório.

A realização do custo individualizado por obra e o acompanhamento frequente do processo de construção da edificação, ajudam a garantir que o planejamento se cumpra.

 

O custo individualizado por obra

custo de obra
Custo de obra

Uma vez que, ao final de qualquer obra o objetivo é obter um resultado positivo a partir de um lucro bruto, torna-se importante calcular e controlar o custo de obra.

Mas como saber qual foi o custo exato de uma obra e qual foi o seu lucro?

Antes de qualquer coisa, é preciso de um controle rigoroso dos gastos, a partir da individualização dos custos por obra definido para cada custo, hora gasta ou trabalho feito.

Essa individualização dos custos por obra apresenta benefícios que facilitam o gerenciamento da construção. Uma vez que garante que o gestor:

  • Entenda quais obras dão lucro e quais dão prejuízo;
  • Compreenda os erros cometidos, evitando que ocorra novamente;
  • Possa traçar metas mais objetivas e sólidas;
  • Consiga promover e destacar os seus colaboradores, de acordo com o desempenho apresentado;
  • Planeje de forma consistente o seu fluxo de caixa.

Para que você consiga individualizar e controlar os custos das obras, será preciso se basear em métricas confiáveis.

A Plataforma de Gestão é uma ferramenta que centraliza as informações, possibilitando integrar os seus pedidos a centros de custos, que são criados a partir de cada obra. Além disso, a ferramenta permite que relatórios sejam gerados em tempo real.

O Sienge, por exemplo, é uma plataforma de gestão muito eficiente para o controle dos custos.

Acompanhamento da obra

Uma forma de ficar sempre atento ao controle do custo é fazendo o acompanhamento da obra. Ou seja, conferir periodicamente (quase diariamente) o que foi executado.

Afinal, estamos falando de uma indústria em que as mudanças são diárias e a mão de obra muitas vezes também recebe por dia de trabalho. Logo, é importante acompanhar todos os processos para que a obra possa ser entregue no prazo planejado, com o valor de custo estimado.

Com um orçamento bem feito, torna-se fácil acompanhar os custos e os gastos, a partir da utilização da “curva S”, gráfico que permite comparar os gastos planejados com os gastos realizados.

 

Dessa maneira é possível replanejar e redimensionar o custo da obra, se for preciso. Quando isso ocorre, não significa necessariamente que o planejamento inicial tenha dado errado, na verdade, pode ter ocorrido apenas um imprevisto. No entanto, caso não aconteça o acompanhamento, o que era um imprevisto pode se tornar facilmente um erro.

Portanto, como vimos ao longo do texto, o gestor tem como dever acompanhar cada passo da obra, assegurando que as despesas, o recebimento, o planejamento de compras e o armazenamento sigam o orçamento que foi planejado no início do processo.