fbpx

A importância do suporte ao cliente no mercado imobiliário

Customer Success nas incorporadoras: conheça as vantagens do uso desse método

Se o objetivo da sua empresa é que o cliente tire o melhor proveito da experiência oferecida pela sua empresa, você vai precisar oferecer o suporte ao cliente no mercado imobiliário, ou em qualquer outro setor.

Assim, ele poderá usufruir da solução com todas as facilidades e conforto necessário para resultar em uma boa experiência. Isso deve acontecer desde o agendamento de assistência técnica até o uso do portal do cliente.

Se a sua incorporadora não está dando a devida atenção a isso, chegou o momento. Por isso, neste texto você descobre:

O que é o suporte ao cliente?
Quais são os principais benefícios do suporte ao cliente?
Por que apostar no suporte ao cliente no mercado imobiliário ?
O suporte ao cliente no mercado imobiliário na prática

O que é o suporte ao cliente?

A definição mais adequada é que o suporte ao cliente é um serviço de atendimento que tem como objetivo possibilitar que o consumidor tenha uma boa experiência de compra. Isso reflete, consequentemente, na experiência da jornada do cliente durante a compra.

Mas em qual fase da jornada esse apoio deve ser oferecido?

Pois bem, o suporte ao cliente pode ser dado em diversas etapas da jornada por meio do canal desejado, ou seja, não existe um canal específico para isso ser feito.

Desse modo, o suporte pode ser considerado um serviço de atendimento ao consumidor que pode ser acessado a partir de diversos canais de comunicação.

Assim, a relação com o cliente é otimizada no decorrer da jornada de compra, já que a ferramenta é utilizada para diversos fins, como tirar dúvida e solicitar melhorias, por exemplo.

As empresas precisam entender que os clientes querem ter um suporte disponível que tenha a capacidade de utilizar os dados em prol de um atendimento mais assertivo.

Dessa maneira, com uma boa experiência de compra, a partir do impacto de um atendimento, o resultado gerado para a empresa tende a ser positivo. Não é por acaso que essa é uma área considerada de grande importância estratégica para o negócio.

Um dos pontos em que essa estratégia tem influência é no posicionamento da marca. Ou seja, o suporte ao cliente contribui na construção do branding. Assim, essa ferramenta ocupa um outro espaço dentro da empresa. Não é apenas um modo de resolver problemas.

Essa atividade acompanha o consumidor durante todo a jornada, do pré ao pós-venda. Além disso, o suporte acaba servindo para coletar dados importantes sobre o público. Desse modo, tendências, preferência e oportunidades podem ser identificadas.

Quais são os principais benefícios do suporte ao cliente?

Como foi possível perceber no tópico anterior o suporte ao cliente surge e é aprimorado para trazer vantagens para os clientes e também para a empresa, certo?!

Alguns dos benefícios identificados são:

1-Customer focus : esse conceito trata sobre o protagonismo do cliente. Com esse tipo de atendimento o consumidor tem o suporte durante toda a jornada, ou seja na pré-venda, venda ou pós-venda. Sendo o foco durante esse processo.

2-Disponibilização de vários canais: a modernização do suporte ao cliente permite que a empresa trabalhe a partir de diferentes canais (e-mail, telefone, wpp e etc), alcançando assim o público que está mais presente em cada um deles.

3-Personalização do atendimento: ao coletar os dados nos mais diferentes canais, a equipe consegue segmentar o público, entendendo o perfil e o comportamento de compra dos clientes.

4-Fidelização do cliente: após entender a importância que tem pela marca a partir de um bom trabalho de customer focus, a fidelização é o próximo passo. Após ser bem atendido e criar intimidade com a marca, o consumidor se torna fiel à proposta oferecida.

5-Aumento dos indicadores de satisfação e melhora a imagem da marca: com um cliente satisfeito, as pesquisas realizadas durante o processo de pós-venda vão gerar indicadores positivos que podem ajudar a estabelecer um bom posicionamento de marca e, consequentemente, atrair novos consumidores.

6-Aumento da receita também a partir da taxa de retenção mais elevada: o investimento no suporte ao cliente, após uma aplicação adequada, vai gerar retorno ao resultar em fechamento de negócios e atração de novos clientes.

Por que apostar no suporte ao cliente no mercado imobiliário ?

As características e vantagens referenciadas acima se adequam também ao cenário do mercado de imóveis, ou seja, o suporte ao cliente no mercado imobiliário também é uma excelente ideia.

Nesse setor, tudo que o cliente precisa são de esclarecimentos e muitas vezes até de conselhos, por isso, o atendimento deve ser ágil, presente e personalizado. Afinal, comprar um imóvel é algo que demanda tempo, planejamento e, sobretudo, dinheiro.

Mais do que isso, muitas vezes a compra de um apartamento ou casa representa a realização de um sonho. Portanto, colocar o cliente como foco é uma forma de fazer ele se sentir acolhido e seguro para assinar um contrato tão importante.

Nem sempre a concorrência vai agir dessa forma. Por isso, esse pode ser um importante diferencial, especialmente para clientes que têm pouca experiência com a compra de imóveis.

Seguindo essa linha de raciocínio, os cases de sucesso são uma segurança a mais para o cliente. Quando um consumidor percebe que um outro cliente ficou satisfeito com a compra e com o atendimento oferecido, isso serve como uma mola propulsora positiva para a decisão final.

Ou seja, ao oferecer um bom atendimento e suporte ao cliente no mercado imobiliário, que é feito com aprimoramento e qualidade, a empresa só tem a ganhar nesse processo.

O suporte ao cliente no mercado imobiliário na prática

O suporte ao cliente no mercado imobiliário, e outros setores, vai muito além do SAC, ou seja, da resolução de problemas e dúvidas.

Desse modo, quando a empresa promove uma base de conhecimento para que os clientes tenham acesso às informações do serviço oferecido em um espaço centralizado, significa que um suporte está sendo aplicado.

A produção de conteúdo em blogs e e-books, por exemplo, são formas de atualizar os clientes sobre assuntos que eles precisam saber com relação ao produto ou serviço oferecido. Assim, por meio de conteúdo de qualidade em texto, imagem ou vídeo o cliente ganha conhecimento.

Ter um portal de autoatendimento também é uma solução bem eficaz para sanar dúvidas sem que o cliente precise fazer um contato direto com o time de atendimento da empresa.

Desse modo, os aspectos citados contribuem para a democratização do acesso à informação, diminuição de retrabalhos, redução de custos com equipe e aumento da satisfação do consumidor.

Além disso, o cliente pode ter mais autonomia e a empresa pode usar esse material para o treinamento de novos colaboradores.
Para que um bom suporte ao cliente seja oferecido, a empresa precisa atuar em diversos canais para alcançar vários perfis. A definição de metas inteligentes, ou seja, da metodologia S.M.A.R.T é outro ponto importante para auxiliar na otimização da experiência do cliente.

O uso de um bom software de gestão como o Construtor de Vendas possui funcionalidades específicas para suporte e atendimento. Mais do que modernizar o gerenciamento empresarial, a plataforma contribui para melhorar o relacionamento com o cliente.

A última dica é que a empresa capacite o time de suporte para que essa equipe possa gerar escalabilidade ao negócio.

Ou seja, o suporte ao cliente não deve somente existir, a empresa precisa de uma série de cuidados e ações para que a ferramenta faça a diferença nas estratégias do negócio. Será que você está preparado para aplicar isso na sua empresa?!

Quer saber mais sobre esse e outros assuntos do mercado imobiliário? Nos acompanhe no Instagram (@tcpsistemas).

Por que usar maquete 3D em seu projeto de construção?

Imagino que você já tenha observado alguma maquete 3D em algum shopping da sua cidade. Não adianta, esse é um recurso que chama a atenção das pessoas, principalmente de quem pretende comprar um imóvel. Ver o projeto é um ponto que pode tornar o sonho da casa própria mais real.

Mas essa tecnologia é muito mais antiga do que se imagina, as maquetes tridimensionais foram utilizadas em obras de séculos passados. Isso mesmo, as pirâmides do Egito, a Muralha da China e até as cidades romanas foram construídas a partir de projetos em 3D.

Claro que a evolução dessa proposta é constante, graças aos diversos recursos tecnológicos que surgiram ao longo dos anos, mas é interessante notar que essa não é uma proposta muito nova, né?

Se você quer saber porque as maquetes tridimensionais é um recurso tão utilizado, acompanhe neste texto:

O que é a maquete tridimensional?
A vantagens do uso da impressão de maquete 3D
8 classificações de tipos de maquete 3D
A evolução da maquete 3D ao longo dos anos

O que é a maquete tridimensional?

A Maquete 3D pode ser definida como uma representação realista de construções, objetos, mecanismos ou espaços físicos, só que tudo isso feito em escala menor.

No caso da construção civil, esse é um recurso muito utilizado para a demonstração de projetos de apartamentos, desenhos e terrenos. O que facilita visualizar além da construção, toda a arquitetura e paisagem do projeto.

A central de vendas que possui o projeto tridimensional tende a atrair mais os possíveis clientes, já que essa é uma maneira de conseguir visualizar todo o quadro, incluindo planejamento, ambiente, instalações de apoio e outros detalhes do que será entregue futuramente da mesma maneira.

No mercado nacional, a impressão 3D é uma tecnologia que vem se popularizando, isso contribui de forma significativa para a parte de criação de maquetes. Anteriormente a elaboração desse projeto era trabalhosa e demorada, já que geralmente elas eram feitas de madeira ou espuma.

De todo modo, o mais importante é que a maquete 3D permite a percepção de aspectos que não seriam possíveis em representações gráficas bidimensionais.

Existem três grupos principais de maquetes, que varia de acordo com a necessidade de uso:

  • Topográficas: maquetes montadas para reproduzir modelos de terrenos, de paisagens e jardins.
  • De edificações: maquetes que possuem miniaturas de edifícios e de interiores, sejam individuais ou de conjuntos.
  • Específicas: representam modelos de design, de móveis e objetos.

A maquete tridimensional tem duas funções principais: atua como ferramenta importante para a elaboração dos projetos e contribui na promoção das vendas.

No próximo tópico serão abordadas as vantagens da impressão em 3D, mas a maquete em si é essencial também para compreender o projeto, uma vez que permite identificar outras soluções tanto em ambientes internos quanto externos. Ou seja, essa é uma maneira de estimular a criatividade.

A vantagens do uso da impressão de maquete 3D

A maquete 3D apresenta benefícios para a construção civil em diversos âmbitos, como já foi falado acima, essa é uma maneira inclusive de descobrir e resolver problemas que poderiam surgir ao longo da execução da obra ou durante a utilização do imóvel.

Após identificar tais problemas, soluções podem ser planejadas para melhorar as áreas disponíveis para a obra ou sua circulação. Como aponta Criss B. Mills, as maquetes tridimensionais servem também para gerar ideias e contribuir para o aperfeiçoamento.

As maquetes em 3D podem ser feitas artesanalmente. Ou seja, utilizando ferramentas como estiletes, cola, tesouras, metais, madeiras, papel kraft, fibras, poliuretano e policarbonato, por exemplo. Além de outros materiais mais automatizados. Porém, a impressão em 3D é o método mais moderno para essa proposta.

Para além dos benefícios já citados, quando esse modelo de maquete é feito através de uma impressão em 3D, novas vantagens podem surgir.

  1. Estrutura Robusta e Rígida: com as impressoras 3D, a precisão e qualidade da superfície do projeto são altas, já que são diversos os tipos de materiais disponíveis para o modelo de impressão.
  2. Tempo de construção de modelo e maquete: se antes demorava algumas semanas para a maquete ficar pronta, no formato de impressão em 3D basta importar os dados do modelo e digitar na ferramenta que o projeto é impresso automaticamente.
  3. Ideias claras: a impressão tridimensional permite materializar o conceito de design. O desenho pode ser feito mesmo que não seja o do projeto final, assim o modelo de escala de qualidade tende a se tornar intuitivo e prático, resultando em um design mais personalizado para os clientes.
  4. Edição e Modificação: caso o cliente peça alterações no projeto a partir de sugestões e propostas, você pode modificar o modelo 3D do edifício com facilidade durante a modelagem e, em seguida, imprimir novamente o projeto.

7 classificações de tipos de maquete 3D

No blog do Sienge, as classificações são enumeradas para tratar sobre as maquetes tridimensionais na fase de projetos a partir do que aponta Criss B. Mills:

  1. Maquetes de Conceito: elaboradas nos estágios iniciais de um projeto, com o intuito de explorar qualidades abstratas, como materialidade, relações com o sítio e temas interpretativos.
  2. Maquetes de Volumes: simples, elas são feitas em pequena escala, representando apenas o tamanho e a proporção de uma edificação.
  3. Maquetes de Cheios e Vazios: apresentam a relação entre as áreas abertas e fechadas das edificações. São mais úteis para se entender a característica de uma edificação do que maquetes de volumes.
  4. Maquetes Desenvolvimento: neste caso a escala é maior do que os estudos preliminares, assim, o projetista pode visualizar o próximo nível de projeto.
  5. Maquetes de Apresentação ou Maquetes com Acabamento: elaboradas com cuidados especiais, já que representam um projeto finalizado.
  6. Maquetes do Sítio ou Relevo: realizadas com o objetivo de estudar a topografia, reproduzindo a declividade do terreno ou as curvas de nível.
  7. Maquetes do Contexto e de Urbanismo: neste caso até as edificações do entorno fazem parte do projeto, assim, torna-se possível apresentar toda a área urbana e seus componentes.

A evolução da maquete 3D ao longo dos anos

Considerando toda a utilidade e importância de um projeto 3D para vender e identificar problemas e soluções de uma ideia, obviamente existe todo um trabalho que busca trazer melhorias para essa proposta. Por isso, ao longo dos anos houveram diversas evoluções técnicas.

A partir de estudos e pesquisas, atualmente além da maquete tridimensional física, existem as maquetes virtuais ou eletrônicas feitas em 3D. Assim, o projeto referencia a obra de uma maneira detalhista e sofisticada.

Mas, diante de opções cada vez naus tecnológicas, qual é a melhor?

Essa é uma questão que vai depender de uma série de fatores, que inclui desde o orçamento de obra até o objetivo final do uso da maquete tridimensional.

Ainda que a maquete virtual seja mais prática, a maquete física continua sendo muito produzida. Afinal, para deixar em um espaço de divulgação, por exemplo, essa é uma opção mais atraente visualmente. Pois, além da primeira impressão, você pode identificar a textura e outros aspectos táteis.

A impressão 3D chega para proporcionar uma experiência ainda mais real do projeto. Além do trabalho ser realizado de maneira mais otimizada. Essa tecnologia produz detalhes do empreendimento.

Assim, são criadas sucessivas camadas do material, normalmente em polímeros termoplásticos. Neste caso também, os ajustes são feitos com apenas um clique, o que agiliza bastante o processo.

Você já sabia como funcionava a proposta de uso de maquetes 3D? Para saber mais sobre esse e outros assuntos da indústria da construção civil, nos siga no instagram (tcpsistemas).

Como fidelizar clientes no mercado imobiliário?

Imagino que você em algum momento já tenha se perguntado isso, qual é a forma de fidelizar clientes no mercado imobiliário?

Esse é um objetivo comum a diferentes setores, porque fortalece a marca e gera lucro, mas neste mercado os desafios e as vantagens têm suas particularidades.

Alugar ou comprar imóveis não é uma ação que uma pessoa executa com frequência, certo?! Porém, a retenção de cliente é importante para que a concorrência surja como possibilidade para o seu prospect.

Para que você entenda mais sobre esse assunto, neste texto será abordado:

Por que é importante fidelizar clientes?
O relacionamento com o cliente e outros meios de fidelização
O uso de tecnologia para fidelizar cliente no mercado imobiliário

Por que é importante fidelizar clientes?

Acima já foi dado alguns spoilers sobre a importância da fidelização de clientes. Mas, de fato, os aspectos básicos da proposta estão relacionados à possibilidade de o consumidor negociar novamente com a marca e, além disso, indicar a imobiliária para amigos, familiares ou conhecidos.

Sendo assim, para que isso aconteça o cliente precisa ter vivido uma boa experiência com o serviço. Afinal, não é comum que as pessoas escolham novamente um serviço ou indiquem quando alguma coisa tenha desagradado.

Ou seja, em geral é importante que sua imobiliária seja uma referência de qualidade de atendimento, serviço e entrega. E como essa ação de compra/aluguel é pouco frequente e muitas vezes se trata da realização de um sonho, a possibilidade que os clientes indiquem o serviço é muito potente para uma imobiliária.

Isso porque essa indicação não é uma simples indicação. Neste caso, a decisão influencia diretamente na vida da pessoa, envolve burocracias e tem um custo alto. Então, ao ser uma marca referência de indicação, a imobiliária transmite confiança e excelência ao futuro cliente.

Desse modo, para que o seu cliente, além de ficar satisfeito com o serviço, se torne um defensor da marca(ou quase isso), você precisa ter estratégias de pós-venda bem determinadas. Essa é uma grande chance de fazer o negócio prosperar.

O relacionamento com o cliente e outros meios de fidelização

No tópico anterior tratamos sobre a fase de pós-venda. Etapa importantíssima para que um fechamento de negócio se multiplique, sobretudo, a partir da indicação. Desse modo, você deve mostrar que se importa com o cliente, buscando saber, por exemplo, se ele gostou da aquisição.

Mas certamente o relacionamento com o lead ou novo cliente vai além da indicação. Uma dica importante nesse processo é ouvir o lead, assim você consegue produzir conteúdos que agrade a sua persona, oferecer os imóveis adequados e sanar qualquer dúvida que possa impedir a venda.

Demonstrar conhecimento técnico é outro ponto essencial para um corretor. Assim, o possível cliente percebe a capacidade do profissional e considera a compra com mais segurança.

Por isso, os corretores de imóveis precisam estar atualizados sobre as tendências do mercado, além do funcionamento geral do mesmo. Ao mostrar conhecimento sobre os detalhes de uma unidade imobiliária como infraestrutura do bairro e sobre pontos positivos e negativos do imóvel, o corretor e a empresa ganham autoridade.

Outro ponto de atenção é que você, corretor de imóveis, deve priorizar o seu lado consultor, o colocando acima do seu lado vendedor. Isso porque, apesar do objetivo final ser a venda, a sua função é orientar e não influenciar diretamente na decisão. Insistir no fechamento da transação pode, inclusive, afastar o cliente.

A ética e o equilíbrio precisam existir na prática, assim, a venda acontece de forma orgânica e honesta. Não adianta iludir o cliente sobre qualquer aspecto do imóvel se você deseja fidelizar esse cliente. Afinal, ele vai morar no espaço, então uma hora ou outra ficará claro que o que foi passado não corresponde à realidade.

Ou seja, o segredo é oferecer o imóvel certo que corresponda às expectativas do cliente e a partir disso fechar o negócio. Isso demanda estudo do mercado e da persona, mas os resultados tendem a ser satisfatórios para a fidelização de clientes.

O uso de tecnologia para fidelizar cliente no mercado imobiliário

As ferramentas tecnológicas possibilitam que a construção da relação com cliente seja mais próxima e objetiva. Por isso, separamos algumas dicas de uso de tecnologia em prol da fidelização.

1- Otimização do site para celular

Se você não deseja que o usuário abandone a sua página, é bom que você priorize um site responsivo que permite o acesso adequado pelos smartphones. Atualmente o uso do aparelho para acessar qualquer tipo de negócio e site pode ser o mais comum e prático para um número significativo de pessoas.

É a partir da web que muitos clientes procuram as informações, fazem reserva e até efetivam a compra. Desse modo, se o site não está preparado para abrir no celular rápido e ser otimizado para o aparelho, você pode perder alguns clientes para concorrência.

Para evitar problemas, busque testar com frequência o funcionamento do site através de um celular.

2- Envie oferta para o celular do cliente

Existem alguns conceitos que tornam essa possibilidade uma boa ideia O histórico de compra contribui para que você saiba qual promoção de imóveis ou novidade deve ser enviada ao cliente a ponto de chamar sua atenção.

A localização geográfica é outro fator primordial na aplicação deste método. Isso porque existe a possibilidade de enviar a notificação no momento que o cliente estiver perto do seu negócio. Assim, unindo as duas propostas, você pode oferecer um desconto quando um lead é detectado nas proximidades da empresa.

3- Utiliza uma plataforma de suporte ao cliente

Um tipo de software que sempre falamos por aqui é o CRM e agora não poderia ser diferente. Além de outras vantagens, o CRM é uma forma muito eficaz para trabalhar a fidelização de clientes.

O Construtor de Vendas é uma dessas plataformas que contribuem nesse sentido. Neste caso, o grande benefício é que o CV ajuda a sua imobiliária em todas as etapas do processo, ou seja, do lead ao pós-venda.

Além disso, a partir do CRM, você pode reunir todas as informações do cliente de forma transparente em um só lugar, o que facilita muito o processo. Sendo assim, quando o cliente faz um contato não é necessário fazer perguntas repetidas, por exemplo. Afinal, você já tem todo o histórico da relação entre a marca e o cliente.

O CRM é um meio de tornar o atendimento mais eficiente, possibilitando que seja criado um elo entre a marca e o cliente. Assim, consequentemente, a taxa de retenção de clientes da empresa aumenta.

4. Faça bom uso das Redes Sociais

A interação com o cliente conta com um facilitador muito importante atualmente: as redes sociais. Sim, se existe um canal tão potente é claro que você precisa utilizá-lo de uma forma coerente.

Portanto, interaja com os prospect e cliente pelo Instagram, Twitter, Linkedin, ou em outras redes que façam sentido para sua empresa. Essa é ainda uma forma de manter a marca como opção para o cliente e de mostrar autoridade na área.

As redes sociais possuem, inclusive, ferramentas que podem contribuir para a ação de fechamento de negócio. Os botões de compra, quando utilizados de maneira correta nas mídias digitais, é uma ótima ferramenta. Mas é importante entender como isso funciona em cada rede.

Gostou do conteúdo? Sabia que a TCP pode te ajudar nesse processo de fidelização de clientes?  Entre em contato conosco aqui e saiba mais.

Por que fazer a vistoria de imóveis?

Para adquirir um imóvel é essencial que ele esteja em uma situação ideal para mudança, certo?! Por isso, a vistoria de imóveis é um processo tão importante. Esse é um modo de evitar diversos problemas.

Desse modo, ao receber as chaves do espaço, não se deixe levar pela emoção da realização deste sonho. Isso porque esse é um momento que exige muita atenção a todos os detalhes do imóvel.

Esse deve ser um cuidado estratégico também das construtoras para entregar o melhor aos clientes.

Assim, com a vistoria realizada adequadamente, a negociação ocorre de uma forma muito mais assertiva, tanto na venda quanto na locação de imóveis. Quer saber mais sobre a importância deste processo?

Neste texto, você confere:

O que é a vistoria de imóveis?
Como fazer a vistoria de imóveis?
A importância da digitalização na vistoria
4 benefícios da vistoria de imóveis

O que é a vistoria de imóveis?

O tão sonhado momento de receber a chave da sua casa chegou. Tudo que era uma ideia impressa no papel e na planta do projeto se torna real. O que fazer quando isso acontece?

Após a finalização do projeto, chega o momento de conhecer tudo que foi construído a partir da ideia que foi apresentada no ato da compra. Nesta etapa ocorre o que é chamado de vistoria com o cliente, para que ele possa conhecer o imóvel, de fato.

Desse modo, o cliente consegue verificar se o memorial descritivo contratado foi respeitado pela construtora. Mais do que isso, essa etapa serve para que os defeitos ou problemas de infraestrutura sejam identificados, caso exista.

No caso do aluguel, a vistoria seria a apresentação do imóvel. Ou seja, já que o imóvel está pronto, basta passar por uma vistoria com o cliente antes do fechamento do contrato.

Na devolução da chave é importante que isso ocorra da mesma forma, assim o locador pode identificar se houve alguma danificação por parte do locatário. Dessa maneira, ele garante que o preço e qualidade do imóvel se mantenha.

A vistoria pode acontecer também de forma periódica, especialmente quando está se falando de um espaço de aluguel. O objetivo é justamente evitar despesas em excesso após a devolução do imóvel.

O mais adequado é que o procedimento de vistoria realizado seja afirmado em um documento e anexado ao contrato de locação através de um laudo de vistoria. Entender as cláusulas da lei sobre esses aspectos é de suma importância para ambas as partes.

Existe ainda um outro tipo de vistoria que é feita pelo Corpo de Bombeiro. É válido destacar esse ponto para que não ocorra nenhuma confusão sobre o assunto. Neste caso, a verificação é mais burocrática, uma vez que o objetivo é garantir a segurança do espaço.

Como fazer a vistoria de imóveis?

Assim como em outros processos, antes de qualquer coisa a etapa de entrega do imóvel precisa ser planejada. Sim, mais uma vez o planejamento é o ponta pé inicial para a realização de uma fase.

Ao criar um cronograma para esse período dos processos, a construtora possibilita um bom gerenciamento desta etapa ocasionando em um resultado final satisfatório para o cliente. Para que a vistoria de imóveis ocorra da forma correta, as fases anteriores devem ser bem executadas.

Algumas dicas para a realização da vistoria são:
  • Realize a vistoria durante o dia para garantir uma boa iluminação natural;
  • Teste portas e janelas abrindo e fechando algumas vezes;
  • Identifique se os vidros existentes na obra estão arranhados, ou até trincados;
  • Verifique vasos, pias e todas as louças existentes;
  • Teste todas as tomadas e as lâmpadas de todos os cômodos;
  • Análise se todas as torneiras estão funcionando e se não possuem arranhões.

Além da análise em si, esse processo precisa ser documentado. Desse modo, um laudo de vistoria é a parte burocrática do processo, no qual devem ser registradas as informações de infraestrutura do imóvel e seu estado de conservação.

No caso do aluguel, esse documento deve ser anexado ao contrato de locação, sendo assinado pelo profissional responsável, locatário, inquilino e mais duas testemunhas.

Nesse laudo, o profissional precisa anotar informações sobre:

  • Vazamento, infiltração, rachaduras, nivelamento, condições da mobília, instalação elétrica e hidráulica, pintura, revestimento, dimensões do imóvel e condições de pias, torneiras, portas, janelas e pisos.

Ter um checklist é importante para o profissional não se perder durante a vistoria.

Se o cliente identificar problemas, o profissional deve anotar e enviar os pontos de melhoria para a equipe de obra conseguir ajustar. Depois da alteração, uma nova vistoria deve acontecer. O comprador deve fazer registros desses detalhes para lembrar de conferir tudo na segunda vistoria.

Todas as informações da visita precisam estar no documento. Nenhum detalhe deve passar despercebido, seja a descrição dos defeitos apontados, o nível de conservação de objetos do imóvel ou o que precisa ser ajustado.

O auxílio da tecnologia é um item que torna o processo mais ágil e otimizado, poupando o desgaste dos profissionais. As plataformas e ferramentas ajudam a imobiliária a ter muitas vantagens, incluindo a diminuição dos gastos.

A importância da digitalização na vistoria

Organizar as informações de diversas vistorias pode acabar sendo um caos quando não se tem as ferramentas corretas e uma boa sistemática organizacional.

A digitalização dos processos de vistoria pode evitar que documentos se percam e que as correções sejam esquecidas ou realizadas com muito atraso. Além disso, as tecnologias convergem em uma comunicação de maior qualidade entre os setores.

Ou seja, a digitalização facilita em diversos níveis o processo de vistoria de imóveis dando um bom andamento nessa e em outras etapas importantes.

Há alguns anos atrás os formulários eram realizados em formato manual. Isso era um grande desafio para os profissionais que nem sempre conseguiam dar conta de cumprir os objetivos com todo o volume de fotografia e folhas impressas.

Hoje em dia, os formulários digitais e todo o avanço tecnológico, possibilita maior segurança, praticidade e eficiência para a realização e armazenagem dos formulários. O uso de smartphones e tablets também ajudam no processo de produção e execução dos formulários.

Além disso, essas tecnologias facilitam a comunicação entre os colaboradores da incorporadora para que eles estejam alinhados ao que ocorre durante cada vistoria.

A digitalização ainda permite que o profissional acesse informações sobre normas técnicas no momento da visita. Isso facilita e melhora a qualidade do trabalho.

Outro ponto que ganha com a crescente digitalização é a armazenagem e acessibilidade do histórico da unidade. Assim, a interação com o cliente ganha maior transparência e assertividade.

O Construtor de Vendas é um software que possui um módulo voltado para a etapa de vistoria. Sendo assim, esse é um CRM que contribui consideravelmente nessa e em outras etapas de venda.

4 benefícios da vistoria de imóveis

Considerando os pontos aqui mencionados, pode-se dizer que a vistoria de imóveis é responsável por trazer diversos benefícios durante o processo de locação ou venda de um espaço.

Os principais benefícios são:

  1. Serve como uma prova para confirmar o que está sendo entregue ao cliente;
  2. Resguardar os direitos de clientes e profissionais da construção;
  3. Evita que o comprador arque com custos de reparos e reformas;
  4. Garante uma compra ou locação mais transparente e justa.

Gostou desse conteúdo? Para acompanhar outros textos sobre a indústria da construção e do mercado imobiliário, nos acompanhe no instagram (@tcpsistemas).

Mercado Imobiliário em 2022: conheça as principais inovações e tendências do setor para este ano

Uma palavra bem frequente aqui no blog é inovação. Tanto para tratar sobre a indústria da construção quanto para abordar o mercado imobiliário, esse assunto é tendência por aqui. E neste texto sobre o mercado imobiliário em 2022 isso irá se repetir por bons motivos.

Depois de quase dois anos de pandemia, inovar virou sinônimo de sobreviver. Isso mesmo, não é fácil manter um mercado vivo nesse contexto caso ele não se reinvente. Por isso, o uso de novas ferramentas e softwares se torna cada vez mais parte dos processos do setor.

Por isso, neste texto, você confere:

As expectativas do mercado imobiliário em 2022
5 inovações ou tendências do mercado imobiliário em 2022

As expectativas do mercado imobiliário em 2022

Antes de falar sobre 2022, é importante entender que em 2021 o ramo imobiliário conseguiu se restabelecer mesmo em um cenário de pandemia. Assim, as obras deram continuidade no canteiro e a tecnologia seguiu evoluindo para trazer melhorias ao setor.

Com a população sendo vacinada e a retomada da economia, o mercado imobiliário foi um dos poucos motores de crescimento do país, contratando uma quantidade de mão de obra considerável.

Em 2022, a tendência é que esse crescimento continue e se expanda no segundo semestre, mesmo diante da inflação alta e do fato de ser um ano eleitoral, o que costuma provocar dúvidas nos investidores.

Entretanto, os desafios certamente devem existir justamente por conta dos motivos citados acima. A inflação acaba reduzindo o poder e a decisão de compra dos brasileiros, a taxa Selic de 9,25% no final de 2021 mostra a instabilidade econômica.

Ou seja, o custo de crédito deve ser o principal desafio do mercado imobiliário em 2022. Os juros devem começar altos, segundo as estimativas das incorporadoras. Porém, deve se estabilizar após uma redução no segundo semestre, o que impulsiona o desejo de compra do consumidor.

Já as eleições tendem a gerar cautela nos indivíduos com maior poder aquisitivo. Por isso, os corretores precisam saber trabalhar com inteligência, considerando as especificidades de cada público. Mas sem esquecer nunca de manter uma boa divulgação dos imóveis e oferecer um suporte adequado aos clientes.

5 inovações ou tendências do mercado imobiliário em 2022

O contexto de pandemia colaborou para que mudanças de pensamento acontecessem. Desse modo, algumas tendências do mercado são consequência disso, até mesmo porque o home office virou realidade para muitas empresas.

Assim, as pessoas começam a buscar um imóvel apropriado para isso.

Algumas tendências são:

  • Aumento da procura por imóveis maiores e com área de lazer;
  • Preocupação com o meio ambiente ao priorizar imóveis sustentáveis;
  • Desburocratização e digitalização do processo.

Nos últimos anos o aspecto da inovação digital tem se tornado a grande expectativa do mercado. Em 2022 isso não será diferente. As soluções digitais seguirão se destacando, contribuindo para a integração entre o mundo on-line e off-line.

Ferramentas de organização e gerenciamento de tarefas

Organização é fundamental para a rotina de uma imobiliária. Sendo assim, existem diversas ferramentas nesse sentido que podem contribuir para o sucesso da gestão.

Desse modo, em 2022 utilize a tecnologia a favor da organização para metrificar o tempo gasto nas atividades; priorizar as atividades que são mais importantes e entender quando a produtividade funciona melhor. O uso de software ERP e outras plataformas são essenciais para isso.

Já para gerenciar de forma organizada e assertiva a relação com os clientes, é importante utilizar um software CRM de qualidade.
.

Plataformas de automação de marketing

Pensando em otimizar processos a partir da digitalização das funções, as plataformas de automação de marketing são indispensáveis em 2022. Assim, os colaboradores não precisam realizar tarefas repetitivas, contribuindo para a economia de tempo, dinheiro e recursos.

Essas plataformas também costumam ser incorporadas a softwares maiores de CRM, por exemplo, para gerar uma automação ainda mais unificada e eficiente

De todo modo, o objetivo da automação de marketing é: captar leads automaticamente, criar landing pages, agendar publicações em mídias digitais, metrificar índices de marketing e elaborar relatórios práticos de desempenho.
.

Ferramentas de calendário e reuniões virtuais

Se teve uma coisa que aumentou na pandemia foram as reuniões virtuais, não é mesmo?! Por isso, ter plataformas de calendário e reuniões virtuais de qualidade tornou- se essencial nos últimos dois anos e deve continuar assim em 2022, já que o trabalho remoto ou híbrido deve seguir como tendência.

O calendário pode, inclusive, sincronizar com o Google Agenda e ser utilizado junto com a plataforma de meet do Google. Desse modo, você pode agendar visitas, assistência técnica, assinatura de contratos e reuniões por esse espaço.

Nesse último, dependendo da plataforma, você pode já deixar o link da reunião para facilitar e organizar.

Além disso, o calendário notifica com lembretes constantes, que não permitem esquecer da reunião. Desse modo, você pode compartilhar esse lembrete com o time, bem como padronizar a duração dos eventos.

As reuniões virtuais, neste cenário, também seguem aproximando os times, permitindo um contato frequente na rotina de trabalho.

Além disso, o mercado imobiliário conta com sistema online de reuniões para contratar colaboradores de diferentes lugares, estabelecer um contato mais próximo com o cliente e ainda permite gravar reuniões, webinars e eventos online importantes.

Ferramenta de análise de crédito

Esse tipo de inovação ajuda a entender as oportunidades de negócio, a partir do potencial de compra do cliente, portanto é um fator essencial no setor imobiliário, já que os valores variam muito.

Essas plataformas são responsáveis pela simplificação dos processos burocráticos no momento de conferir se o financiamento é viável. Lembrando que essa ferramenta também pode ser integrada a outras plataformas de gestão.

Contato com os clientes: Chatbots e QR Codes

Iniciar e desenvolver uma relação com os clientes é parte mais importante do processo de venda no mercado imobiliário em 2022 e em qualquer outro ano. Sendo assim, diversas ferramentas são testadas para facilitar o início e a construção dessa relação.

O uso de QR Codes em anúncios é uma forma de facilitar o cadastro de contato e direcionar o cliente para visitas virtuais guiadas aos imóveis. Assim, o cliente pode ter mais liberdade nas etapas de compra, locação ou venda.

O Chatbot também contribui para otimizar o início da jornada de compra do cliente. Por incrível que pareça, o uso dos robôs contribui para humanizar o contato entre empresa e cliente.

Isso porque, essa é uma oportunidade de responder aos principais questionamentos dos clientes através de um software de resposta automática. Ele pode aparecer no site como um pop-up, por exemplo. O que permite que a dúvida seja respondida em tempo real, mesmo sem existir uma equipe de atendimento exclusivamente para isso.

Porém, quando é necessário um aprofundamento maior para responder as dúvidas, a própria ferramenta direciona para um time real de pré-atendimento ou atendimento. Desse modo, a equipe só entra em contato quando existem necessidades reais.

E você, tem alguma aposta de tendência para o mercado imobiliário em 2022? Nos conte lá no nosso Instagram (@tcpsistemas).

Curso para corretor de imóveis e as áreas dentro da profissão

Curso para corretor de imóveis e as áreas dentro da profissão

Você sabia que existe curso para corretor de imóveis? Essa é uma profissão que muitas pessoas não sabem qual é o caminho correto para alcançar o sucesso. Mas como em muitas áreas, a dedicação e o estudo são muito importantes.

Portanto, invista em conhecimento e em curso para corretor de imóveis. Assim, você garante a sua qualidade profissional. Além disso, você pode trabalhar como corretor de imóveis em diferentes áreas. Ou seja, você pode ser uma especialista em uma área de atuação específica.

 É comum pensar a profissão de forma ampla, mas existem várias áreas dentro do universo de corretagem de imóveis, que serão apresentadas ao longo deste texto.  

Qual é o curso para corretor de imóveis?
5 áreas de atuação para um corretor de imóveis

Qual é o curso para corretor de imóveis?

Ser um profissional que atua como corretor de imóveis exige algumas características e entendimentos, como já falamos aqui anteriormente. Mas como também já apontamos aqui, para ter conhecimento sobre área é importante escolher um curso que te prepare para essa responsabilidade.

O ideal é realizar pelo menos um dos cursos a seguir:

  • Curso técnica de Transação Imobiliária;
  • Curso Tecnológico de gestão Imobiliária;
  • Curso de bacharelado em Ciências Imobiliárias: curso completo.

Sendo assim, para atuar nesse mercado não basta só ter vontade e boas habilidades de comunicação, mas sim ter conhecimento e o CRECI em mão. A sigla remete ao Conselhos Regionais de Corretores de Imóveis, documentação necessária para exercer a profissão de corretor de imóveis.

Para conseguir receber os documentos, o profissional precisa ter ensino médio completo, além de ter realizado Curso de Técnico em Transações imobiliárias (TTI).

5 áreas de atuação para corretor de imóveis

Mas além das exigências básicas e da realização de curso para corretor de imóveis que orientam sobre o fazer profissional na área, alguns corretores preferem escolher um caminho mais nichado e específico.

Existem algumas áreas que você pode seguir para ser um corretor de imóveis diferenciado e especialista. Confira algumas das áreas de especialidade do setor. Considere que alguma delas depende de um tipo de curso para corretor de imóveis mais específico.

Avaliação de imóveis – curso para corretores de imóveis

A função de avaliador no mercado imobiliário exige a realização do curso de especialização e da solicitação do registro no Cadastro Nacional de Auditores Independentes – CNAI. Desse modo, após essas duas fases, o corretor pode avaliar propriedades.

Isso significa que o profissional tem toda a base técnica para avaliar o imóvel e garantir que o cliente está fazendo um bom negócio.

O avaliador de imóveis surge a partir da necessidade que um proprietário ou empresa tem de saber por quanto deve vender o imóvel. Ou seja, esse profissional pode ser contratado tanto por pessoas físicas quanto por empresas.

Em geral, o avaliador de imóveis precisa saber sobre: levantamento de informações, procedimento de vistoria, pesquisa de mercado, cálculo e sobre quais são os aspectos que valorizam ou desvalorizam um espaço.

Após uma análise aprofundada, ele deve emitir o Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica – PTAM. Assim, a pessoa ou empresa que precisa vender o imóvel sabe qual é a definição do valor de mercado do seu bem.

Captação

Também chamado de angariador imobiliário, o captador de imóveis tem como função atrair clientes proprietários para a imobiliária. Ou seja, o seu principal objetivo é aumentar o número de imóveis que a incorporadora vai anunciar, negociar e vender.

Para além disso, a parte burocrática da formalização do imóvel e verificação dos documentos necessários para essa formulação, também é uma responsabilidade da captação. Sendo assim, pode-se dizer que o profissional que realiza a captação tem uma importante responsabilidade nas transações imobiliárias.

Sem um bom trabalho do captador de imóveis, fica muito mais difícil garantir a entrada de novas propriedades na carteira do corretor de imóveis.

Administração imobiliária – curso para corretor de imóveis

A locação e administração de imóveis também é um aspecto abordado como tema principal em cursos de especialização para corretor de imóveis. Com essa certificação, o corretor atua na locação, compra e venda dos modelos de contratos.

Desse modo, o profissional tem missões difíceis que inclui:

  • Elaboração de contratos;
  • Cobrança dos aluguéis e outras atividade de gestão a locação;
  • Gestão de condomínio;
  • Ações de despejos;

Ter conhecimento sobre os direitos da vizinhança, leis estaduais e municipais e tributação de imóveis.
O profissional que já tem experiência como corretor deve se sair bem nessa função. Assim, ele contribui até para resolução amigáveis em disputas judiciais e familiares.

Prospector de área

Nesse segmento, o corretor de imóveis terá como responsabilidade a busca por áreas que têm condições de serem utilizadas como loteamento para empresas incorporadoras.

Para trabalhar nessa função é importante entender sobre a ocupação de solo na região de localização do terreno, além de saber sobre a legislação que envolve esse aspecto do solo.

A etapa de prospecção é a largada para muitos projetos de desenvolvimento imobiliários que serão trabalhados a partir disso. Portanto, investir em bons profissionais e na capacitação nessa área é muito importante.

Sem contar que quem trabalha com prospecção pode ter alto rendimento, uma vez que ao garantir um loteamento, você pode ter uma comissão alta. Ou seja, pode ser uma excelente ideia trabalhar com isso.

Mercado de luxo: outra área que um corretor de imóveis pode atuar

Neste caso, a principal diferença é dimensão de tudo que envolve esse mercado. Por isso, o profissional que pretende se especializar no mercado de imóveis de luxo, precisa buscar se especializar nesse segmento. Assim, ele melhora o atendimento ao cliente e passa a entender todos os detalhes sobre esses imóveis.

Mas por que optar por essa área?

Existem algumas características que ajudam a entender porque é interessante trabalhar nessa área. Por exemplo, os valores altos dos imóveis resultam em comissões também mais altas.

Além disso, nesse segmento a criação de network e a possibilidade de ser indicado para outros clientes também tendem a aumentar. A alta qualidade arquitetônica dos imóveis e as transações rápidas, resultado das documentações qualificadas, são outras características vantajosas de trabalhar com o mercado de luxo.

No Brasil, a venda desse tipo de imóvel tem crescido de forma significativa. Por isso, se você ainda não trabalha nessa área, busque estudar sobre esse mercado. Entenda o que caracteriza o adjetivo luxo, que neste caso, envolve localização, arquitetura, lazer, tecnologia, acabamento, além de outras coisas.

Para concluir o texto, pode-se dizer que o segmento imobiliário tem várias áreas de atuação que podem contemplar os seus interesses profissionais enquanto corretor de imóveis.

Para receber outros conteúdos sobre mercado imobiliários, siga o nosso perfil no Instagram (@tcpsistemas).

Integrar marketing e vendas no mercado imobiliário: uma solução para melhorar seus resultados de conversão

Integrar marketing e vendas no mercado imobiliário: uma solução para melhorar seus resultados de conversão

O objetivo principal de uma empresa é, na maioria das vezes, vender mais. Ou seja, converter o maior número de leads em clientes. Quem são os responsáveis por isso? Integrar marketing e vendas no mercado imobiliário é uma boa ideia?

A compra ou aluguel de imóvel tem, certamente, muita influência da maneira como o time de marketing e vendas trabalham. Quando essas duas equipes trabalham juntos, inclusive nesse mercado complexo que é o imobiliário, as chances de um negócio fechado só aumentam.

Essa integração entre marketing e vendas pode trazer, sim, muitos benefícios para o mercado imobiliário e para todo o setor da construção. Por isso, neste texto será abordado:

Por que integrar marketing e vendas?
É função do time marketing…
É função do time de vendas…

O que a integração dos times representa?
Como integrar marketing e vendas?

Por que integrar marketing e vendas?

Uma comunicação bem feita entre os times de marketing e vendas pode ser essencial para o sucesso de um negócio. Afinal, os trabalhos das equipes são dependentes.

Isso porque, se o marketing entrega leads não qualificados, o time de vendas terá dificuldades para convertê-los em clientes. Ao mesmo tempo, se o time de vendas não realiza um bom trabalho, a imagem da empresa pode sofrer impacto. O que significa trabalho para o time de marketing.

Sendo assim, quando o trabalho é feito de forma isolada, o resultado pode não ser o esperado. Já quando ocorre a integração, a imobiliária consegue se destacar e se diferenciar da concorrência. Dessa forma, conquistar o objetivo final acaba se tornando uma tarefa mais simples.

É função do time marketing...

A qualificação dos potenciais clientes e grande parte dos esforços pré-venda ficam a cargo desse time.

Dessa maneira, a equipe de marketing terá como função acompanhar o lead em todas as etapas do funil. Ou seja, ele vai captar e nutrir o lead até que ele se torne qualificado para ser uma responsabilidade do time de vendas.

Assim, para conseguir que o indivíduo avance no funil de vendas, o time de marketing deve produzir conteúdo para todas as etapas do funil. Desse modo, o potencial cliente vai avançando na jornada do cliente.

O trabalho do marketing envolve outros aspectos como construção e consolidação da imagem da empresa, além disso o marketing deve esclarecer e sanar as dúvidas do cliente sobre a compra dos imóveis.

Sendo assim, após captar os possíveis compradores dos imóveis, técnicas são utilizadas e muitos conteúdos são produzidos, para que o lead entenda qual imóvel resolverá os seus problemas e lhe trará benefícios, por exemplo.

Em geral, o marketing ainda será responsável por melhorar o alcance e a credibilidade da empresa, o que influencia muito na decisão de compra.

É função do time de vendas...

Vender… mas claro que esse conceito não é tão simples quanto parece. Na prática, a equipe de vendas fica responsável pelo fechamento da compra. Ou seja, eles precisam converter o lead qualificado pelo marketing em cliente.

Isso significa que eles devem entrar em contato, agendar visitas, reuniões e por fim, fechar negócio.

Para alcançar esse feito, além de receber bons leads, o time comercial precisa estar muito bem preparado. O corretor de imóveis e todos da equipe que lida com o comercial no setor imobiliário deve estar muito bem capacitado e treinado para exercer essa função.

Afinal, esse profissional precisa lidar com o público, o que já é um desafio por si só. Mas mais do que isso, ele está vendendo um sonho, que representa uma importante realização e um gasto alto para o cliente. Portanto, convencê-lo dessa tomada de decisão exige muito cuidado, seriedade e talento.

Sendo assim, entende-se que você pode ter uma ótima casa para vender, mas se você não oferece para o cliente certo, da forma correta, você não vai conseguir vender e consequentemente não irá gerar lucro.

O que a integração dos times representa?

  1. Melhor comunicação interna entre os times: essa integração permite otimizar a comunicação entre marketing e vendas, já que as informações são compartilhadas entre todos de ambos os times. Assim, a conexão entre os colaboradores aumenta;
  2. Auxilia na qualificação dos leads: o time de vendas pode acompanhar de perto o processo de qualificação. Assim, eles podem até participar do planejamento estratégico e análise dos resultados;
  3. Facilita a troca entre os times: o processo de passar o lead para o time de vendas pode se tornar muito mais simples e rápido com as equipes integradas. Uma vez que as divergências serão resolvidas antes que a troca aconteça.
  4. Deixa o ciclo de vendas mais eficiente: isso quer dizer que todo processo que engloba, da descoberta do problema até o pós-venda, é mais assertivo e rápido quando os times se integram. Sendo assim, o fluxo de informação fica mais otimizado e o acompanhamento dos clientes é feito de perto.
  5. Criação de metas alcançáveis: a criação de metas inteligentes para os dois times só é possível quando eles estão verdadeiramente integrados, porque consideram as necessidades dos dois setores. As metas podem ser comuns ou particulares para cada time.
  6. Resultados mensuráveis: além de criar boas metas é preciso conseguir mensurar o que foi alcançado ou não. Para conseguir esse feito, é importante que os times sigam todo o ciclo de vendas de um imóvel.
  7. Conhecimento do cliente: com todos trabalhando juntos, o time de vendas entende melhor o tipo de cliente que precisará lidar, uma vez que as etapas de marketing já conseguiram decifrar características e costumes da persona.
  8. Aumento dos lucros: com essa alteração na logística e rotina de trabalho e com todas as facilidades que essa integração gera, a tendência é que as conversões de clientes aumentem. Assim, consequentemente, o lucro também melhora.

Como integrar marketing e vendas?

Os benefícios da integração são muito, né?! Mas como fazer essa ação integrativa entre marketing e vendas na prática?

Para realizar tal integração, o primeiro passo é esquecer a competitividade entre os times. Não queria criar conflitos e disputas desnecessárias entre os setores, pois no final das contas, um irá depender do outro.

A maior aliada dessa integração é a tecnologia. Isso porque as plataformas de gestão podem ajudar muito nessa integração. Além de um bom software CRM, treinamentos via cursos on-lines para corretores de imóveis contribuem para integrar e mensurar os resultados.

A gestão comercial é mais potente com uso do CRM. O software unifica e integra os setores de Marketing, Atendimento e Vendas. Dessa forma, permite que os colaboradores de todos esses times recebam as mesmas informações e entenda o cliente e os resultados da empresa.

Plataformas como o construtor de vendas oferece suporte para diversas etapas da jornada de compra, ajudando inclusive na integração entre marketing e vendas.

  • Pré-venda: solução para avaliação, qualificação e acompanhamento do lead pelos dois times integrados;
  • Venda: contribui para workflow comercial e ajuda a otimizar o fechamento do negócio;
  • Pós-venda: auxilia no relacionamento com o cliente, oferecendo assistência e fidelizando o público. Assim, quem já comprou imóvel com uma imobiliária e gostou do serviço, pode indicar para outras pessoas.
  • Gestão: permite que se gerencie amplamente todos os esforços comerciais internos;
    Ecossistema: possibilita a criação de um verdadeiro ecossistema que une os times e integra diferentes ferramentas em uma mesma plataforma.

Ou seja, se a proposta é integrar os times de marketing e vendas para melhorar seus resultados, contrate um bom software CRM, que esteja alinhado à indústria imobiliária.

Se ficou com alguma dúvida ou quer receber mais conteúdos sobre o universo da construção civil ou sobre venda imobiliária, nos acompanhe no instagram.

Por que usar a metodologia SMART no mercado imobiliário?

Por que usar a metodologia SMART no mercado imobiliário?

Ter objetivos e metas bem definidas é um passo importante para traçar uma boa estratégia de venda para as incorporadoras. Por isso, a metodologia SMART no mercado imobiliário vem se tornando uma forma efetiva para colocar isso em prática.

Todo projeto precisa ser norteado para que as expectativas sejam criadas e realizadas. As metas S.M.A.R.T surgem com esse propósito, também mudando a forma de definir metas.

Sendo assim, o método que garante coesão e assertividade, permite que a sua incorporadora se diferencie da concorrência, justamente por incentivar que equipes tenham proatividade e um bom planejamento.

O que é a metodologia SMART?

Metodologia SMART no mercado imobiliário

As vantagens da metodologia SMART

O que é a metodologia SMART?

Antes de começar a abordar a metodologia em si, é importante compreender o que são metas e objetivos. Porque muitas pessoas costumam confundir esses dois termos que têm significados diferentes.

O objetivo está diretamente ligado ao lugar em que você pretende chegar. Pode ser definido como aquilo que você deseja alcançar. Porém, para obter sucesso com um objetivo você precisa ter planejamento e estratégia.

Sendo assim, ao elaborar um objetivo pense que ele precisa ser realista, ter um motivo relevante para existir e ter a possibilidade de ser mensurado. É justamente nessa última categoria que entram as metas.

As metas servem como um meio de você alcançar um objetivo final. Dessa forma, elas são a quantificação de um objetivo. Assim, para estabelecer metas é importante definir prazos e uma quantificação. Quanto mais especificações tem uma meta, mais fácil se torna definir um plano de ação.

Ou seja, apesar de possuírem significados diferentes, metas e objetivos são conceitos que se complementam e que devem fazer parte da nossa rotina diária para dar impulso às nossas ações.

Para aplicar isso de uma maneira eficiente surge a metodologia S.M.A.R.T. Um acrônimo em que cada letra representa um conceito, formando assim, as metas de cada categoria.

S: Specific (Específica)

A especificidade é a primeira característica do método. Como já falamos acima, isso facilita estabelecer um plano de ação. Por isso, ter um sentido específico, ou até melhor exclusivo é muito importante no momento de estabelecer metas. 

Seja claro para definir uma meta, assim todos da equipe conseguirão entender o propósito. Objetivos ambíguos e subjetivos dificultam a efetivação do processo.

Sendo assim, busque compreender: o que pretende alcançar, a importância da meta, qual setor vai colocar em prática e quais são as tarefas necessárias para alcançar tal meta.

M: Measurable (Mensurável)

Para você entender se uma meta foi alcançada ou não, ela precisa ser mensurável, certo?! Portanto, ao pensar em uma meta é necessário estabelecer meios para medi-la. Assim, você vai conseguir analisar e comparar os resultados, entender o que de fato funcionou e o que precisa ser modificado.

O indicativo de medida pode ser em preço ou porcentagem, por exemplo. Com esses números em mãos as empresas conseguem coletar e monitorar os dados.

Dessa maneira, nessa etapa questione: o que você espera como resultado da meta? Como devo medir o resultado? Qual número é positivo para esse resultado? Em quanto tempo preciso alcançar a meta?

A: Attainable (Atingível)

Não adianta criar uma meta que você sabe que sua incorporadora não irá alcançar. Portanto, crie metas atingíveis que possam te fazer elevar suas expectativas e sonhos. Ou seja, seja realista, mas não deixe de acreditar em objetivos maiores futuramente.

Quando você estabelece metas entendendo os recursos financeiros e materiais do seu negócio, você evita frustrações e aumenta a confiança e produtividade da equipe.

Sendo assim, para criar metas atingíveis busque compreender se a empresa tem condições financeiras para realizá-la, se a estrutura da empresa permite o cumprimento no prazo e quais são as diferentes formas para atingir essa meta.

R: Relevant (Relevante)

Qual a importância da meta para a sua incorporadora? Todos os setores entendem e acreditam nessa importância? O cumprimento da meta interfere no processo da empresa e contribui para o seu crescimento?

Essas são algumas questões que devem ser feitas para garantir se existe um propósito por trás da meta que você, junto com a sua equipe, pretende alcançar. Em geral, pense no que é prioridade para o seu negócio e foque nisso. Assim, as metas secundárias podem ser descartadas.

T: Time bound (Temporal)

Essa característica é necessária para evitar procrastinação e fortalecer o foco da equipe envolvida. Isso porque quando existe um prazo que define a previsão de entrega de uma demanda a determinação dos envolvidos acaba sendo maior.

Porém, definir esse tempo limite nem sempre é uma tarefa fácil. Por isso, considere a opinião dos colaboradores responsáveis pelas demandas e projetos antes de qualquer decisão de prazo.

Você deve questionar, de fato, quanto tempo é preciso para realizar a meta sem que diminua a produtividade e, consequentemente, a qualidade da entrega.

Metodologia SMART no mercado imobiliário

Uma incorporadora tem como principais objetivos, o comprometimento com os clientes e colaboradores. As metas SMART podem contribuir para que esses objetivos sejam alcançados constantemente, uma vez que o método apresenta um planejamento que culmina em oportunidade e crescimento.

As vantagens da metodologia SMART no mercado imobiliário

No dia a dia do trabalho, a metodologia pode garantir o sucesso das ações dos corretores, já que irá direcionar suas ações para que eles alcancem seus objetivos. Assim, a produtividade do serviço aumenta e os resultados de venda melhoram.

Ou seja, a metodologia SMART permite que um corretor crie e mensure as suas metas, garantido que o seu esforço seja efetivo a partir da criação de um bom planejamento de vendas. Dessa forma, a metodologia SMART:

  • Contribui para que o corretor tenha foco em sua atividade, já que ela irá elaborar metas específicas, mensuráveis, atingíveis, relevantes e temporais. Isso permite maior competitividade de mercado.
  • Permite a definição de métricas adequadas para o acompanhamento dos resultados.
  • Fortalece o seu posicionamento do mercado imobiliário, já que você passa a entender melhor como ele funciona, sabendo quais imóveis vendem mais para um certo público, por exemplo.
  • Auxilia na escolha das ferramentas que devem ser utilizadas para alcançar um objetivo. Assim você sabe se é preferível apostar em portais imobiliários, redes sociais ou realidade virtual. Sempre traçando essas escolhas, alinhando com suas metas.
  • Aumenta a produtividade, uma vez que as tarefas ficam mais coordenadas e com os objetivos mais claros.
  • Otimiza o tempo de execução e organização das ações das atividades.

Considerando todos esses aspectos, fica claro que a metodologia SMART é um facilitador na rotina dos corretores de imóveis. Com testes, atenção e dedicação você consegue atingir um dos objetivos principais, vender mais.

Para saber mais sobre o mercado imobiliário, nos siga no Instagram (@tcpsistema).

Como fazer uma boa gestão do tempo no mercado imobiliário?

Como fazer uma boa gestão do tempo no mercado imobiliário?

Você que trabalha com venda de imóveis, consegue realizar todas as suas funções apenas no seu horário de trabalho? Não? Pois é, a gestão do tempo no mercado imobiliário é um desafio para boa parte das pessoas que trabalham no setor.

Fazer o serviço no tempo certo de trabalho é uma dificuldade para muitos corretores. Até porque muitos deles trabalham com certa liberdade para montar o seu próprio horário. Isso acaba dificultando a gestão do tempo.

O mercado está cada vez mais competitivo, por isso, se você não tiver um controle do tempo que priorize a produtividade, a concorrência pode oferecer um serviço melhor ao cliente.

Quer saber mais sobre esse assunto? Então, continue lendo este texto, pois iremos abordar os seguintes pontos:

O que é a gestão do tempo?
A gestão do tempo no mercado imobiliário
Estabeleça uma rotina de trabalho para você e/ou sua equipe
Defina metas bem calculadas
Saiba gerenciar até o tempo das distrações
Priorize a produtividade para tem uma melhor gestão de tempo no mercado imobiliário
Confie em outros membros da equipe
Conte com o auxílio das ferramentas tecnológicas

O que é a gestão do tempo?

A gestão do tempo é basicamente um método. Isso mesmo, uma forma de fazer a divisão do tempo para que você se dedique às tarefas de sua responsabilidade de uma maneira organizada. Ou seja, dessa forma, você consegue determinar prioridades.

Assim, a possibilidade de você conseguir otimizar sua rotina de trabalho, valorizando a qualidade do serviço e a sua própria vida, aumenta. Isso porque, quando trabalhamos de maneira desorganizada, muitas vezes deixamos a nossa própria cabeça e a nossa vida pessoal confusa.

Sendo assim, usando metodologias específicas para gerenciar o nosso tempo, seja no trabalho remoto ou presencial, conseguimos priorizar nossas entregas e nossas vidas.

A gestão do tempo no mercado imobiliário

A gestão do tempo é uma metodologia aplicada em vários setores, mas existem algumas particularidades na indústria da construção e venda imobiliária.

Isso ocorre porque muitas empresas e trabalhadores individuais não conseguem colocar a proposta em prática, por diversos motivos.

A dinâmica de trabalho do setor e a dificuldade de aceitar as novas técnicas de inovação, principalmente nas empresas tradicionais, são dois pontos que atrapalham, por exemplo.

Sendo assim, os modelos de trabalho precisam ser revistos e modernizados, até porque muitas vezes prejudicam o resultado final. Além disso, as incorporadoras devem priorizar uma produção mais avançada e moderna para se manter bem no mercado.

Uma dica importante é testar métodos e ferramentas para ir expandido isso aos poucos na empresa, considerando o que funcionou bem e o que não trouxe bons resultados.

Estabeleça uma rotina de trabalho para você e/ou sua equipe

É impossível falar sobre gestão de tempo sem falar em rotina. Esse é um passo muito importante para inserir os métodos de gestão de tempo no mercado imobiliário.

Porém, para colocar em prática você não precisa tratar esse conceito de rotina como algo monótono. Não é necessariamente fazer as mesmas coisas todos os dias, mas sim utilizar estratégias parecidas para realizar essas atividades.

Assim, você consegue estimular o seu cérebro com modus operandi específicos. Dessa forma, a sua produtividade e capacidade de gerir tempo tende a melhorar

Para conseguir colocar isso em prática é importante realizar planejamentos, seja eles mensais, semanais ou até diários

Defina metas bem calculadas

Quando você trabalha conhecendo as suas metas é muito mais fácil ter controle da situação. Assim, você consegue dividir o seu tempo para todas as suas atividades e projetos, identificando um período para realização de cada meta.

Ou seja, basta seguir um critério para começar e finalizar cada uma das demandas.

A técnica S.M.A.R.T é muito indicada para auxiliar na gestão do tempo. Isso porque tendo metas específicas, mensuráveis, atingíveis, relevantes e temporais, fica muito mais fácil traçar e atingir os objetivos.

Para colocar em prática:

  • Crie uma planilha ou use um CRM imobiliário identificando os grandes objetivos da empresa ou do seu trabalho. Em seguida, divida em tarefas específicas.
  • Defina as metas;
  • Entenda quantas e quais pessoas vão realizar essas tarefas e destine as metas para cada colaborador;
  • Estipule prazos para cada uma das metas;
    Pense nos benefícios que a empresa e/ou você terá ao atingir essa meta.

Saiba gerenciar até o tempo das distrações

A distração é um ponto delicado, já que cada pessoa lida com isso de uma maneira.

De modo geral, você deve tomar cuidado para não se distrair muito. Portanto, habilite o bloqueio de celular no tempo de realização das tarefas e busque metodologias para estimular a produtividade.

Porém, não pense que para ser produtivo você não pode parar uns minutinhos para descansar, muito pelo contrário. Determine pequenas metas na sua rotina diária, e descanse 10/20 minutinhos depois de finalizar cada uma delas.

Com a mente relaxada você retorna com mais disposição e foco para fazer todas as tarefas.

Priorize a produtividade para tem uma melhor gestão de tempo no mercado imobiliário

Já falamos aqui sobre a importância da produtividade no mercado imobiliário e o quanto ela é muito mais necessária do que a quantidade de produção.

Existem alguns caminhos adotado para estimular a produtividade do seu time:

  • Faça reuniões e ofereça feedbacks individuais aos colaboradores;
  • Evite prazos curtos para tarefas que demandam muito tempo qualidade de serviço;
  • Ofereça incentivos e formas de reconhecer um trabalho feito.

Confie em outros membros da equipe

Existem pessoas que trabalham sozinhas e precisam fazer o gerenciamento do tempo no mercado imobiliário considerando apenas o seu serviço.

Porém, quando existe uma equipe de colaboradores e um time que pode contribuir para a realização de uma meta, não tenha medo de distribuir as tarefas.

Não concentre todas as atividades com uma mesma pessoa. Isso atrapalha a produtividade e até mesmo a convivência dentro da empresa.

Conte com o auxílio das ferramentas tecnológicas

Aposte nas soluções digitais para fazer a gestão do tempo no mercado imobiliário. Existem muitas plataformas que ajudam na organização de compromissos e rotinas.

As próprias ferramentas de gestão de trabalho são importantes para otimização do tempo. Uma plataforma CRM, por exemplo, é essencial no mercado imobiliário.

Ao automatizar os processos as equipes ficam mais autônomas e produtivas. Sendo assim, o tempo de realização das atividades caem de forma significativa.

Portanto, utilize plataformas como o Construtor de Vendas, que gerenciam o relacionamento com o cliente facilitando a comunicação e melhorando os resultados.

No dia a dia, os corretores podem adotar também outros métodos que otimizam o tempo. Use plataformas de videoconferência, softwares de assinatura digital, marketing de mídias sociais e tour virtual nos imóveis.

Essas são algumas das ferramentas que devem servir como suporte na gestão do tempo no mercado imobiliário.

Para saber sobre esse e outros assuntos do setor imobiliário, acompanhe as nossas publicações no Instagram (@tcpsistemas).

Como ser um bom corretor de imóveis?

Como ser um bom corretor de imóveis?

Você pensa em ser um corretor de imóveis ou está iniciando na área e não sabe como se destacar na carreira? Então este texto é para você!

O setor da corretagem de imóveis exige um profissional multidisciplinar que tenha habilidade em diferentes áreas de atuação. Isso porque é preciso conhecer o setor da construção civil, ter noções de compra e venda e saber lidar com pessoas.

Mas assim como em outras profissões o estudo e a experiência adquirida com o tempo permitem uma boa atuação do corretor de imóveis.

Neste texto, você confere:

Iniciando a carreira de corretor de imóveis: saiba como começar!

Existe uma série de pontos que contribuem para a carreira de um corretor de imóveis, mas antes de qualquer coisa é importante esclarecer como alguém chega a esse cargo. Essa é uma dúvida bem comum da área.

Assim como qualquer profissão, a formação é um passo importante e às vezes indispensável para ser um corretor de imóveis.

No caso da corretagem de imóveis, existem algumas formas de conseguir um diploma que valide o seu entendimento sobre o setor:

  1. Curso técnico de Transações Imobiliárias: curso de nível médio que ensina sobre processo de compras locação e venda de imóveis;
  2. Curso Tecnológico de gestão Imobiliária: uma graduação reduzida, mas considerado de nível superior, o curso vai além do técnico e ensina como avaliar o mercado imobiliário de forma especializada;
  3. Curso de bacharela em Ciências Imobiliárias: curso completo, que apresenta estudo multidisciplinar aprofundado, englobando as áreas de Ciências Sociais Aplicadas e Ciência Humanas.

A escolha do melhor curso depende do que você pretende alcançar. Por exemplo, se você pretende trabalhar como autônomo, as três opções são boas, mas caso queira abrir uma imobiliária, o ideal seria fazer o bacharelado.

Após a conclusão do curso, você deve fazer o registro no Conselho Regional de Corretores (CRECI). O documento demora cerca de dois meses para ser emitido.

6 dicas para ser um bom corretor de imóveis

Depois da formação é hora de entrar no mercado de trabalho. Nesse momento é comum surgir dúvidas e incertezas sobre o cargo e até sobre a sua capacidade profissional.

Dessa maneira, como esse é um mercado que está em constante transformação é preciso ter alguns cuidados e atitudes que podem contribuir para que você se destaque nessa área.

Compreenda o cenário

Como você pode atuar como corretor de imóveis?

Os dois caminhos mais comuns seriam a prestação de serviço para uma imobiliária e trabalhar de forma autônoma. Ambos exigem muito comprometimento.

O trabalho na imobiliária normalmente é feito de forma mais conjunta. Ou seja, é necessário cumprir as metas da equipe, e além disso, a própria empresa escolhe os empreendimentos que cada profissional irá trabalhar.

Já o corretor de imóveis autônomo, tem um controle maior de suas ações. Sendo assim, ele precisa ter ainda mais responsabilidade e disciplina na hora de estabelecer horários e definir metas.

Estude o mercado da corretagem de imóveis

Além de fazer um curso de formação é necessário está sempre estudando o mercado para compreender as novidades e tendências, além das especificidades do nicho que você atua.

Afinal, a venda de imóveis pode ser direcionada para um tipo de imóvel em específico. Você pode trabalhar com imóveis comerciais (lojas e escritórios), residenciais, de veraneio, galpões e até mesmo fazendas.

Portanto, invista em cursos de treinamento para se manter atualizado e aprimorar suas técnicas de venda, focando também no nicho de imóveis que você trabalha.

Um outro caminho simples e prático é acompanhar os principais canais de notícias sobre o setor da corretagem de imóveis, da construção civil e até mesmo sites e blogs que tratam sobre arquitetura e decoração.

Busque conhecer o seu público

Falamos recentemente aqui no blog sobre psicologia de vendas. Um dos pontos importantes que envolve esse conceito se relaciona com o entendimento que o vendedor tem do seu público.

Conhecer as técnicas de programação neologística (PNL) é um passo que ajuda a reconhecer as expressões faciais e linguagens corporais.

Porém, além disso, o corretor precisa conhecer as motivações e emoções do possível comprador do imóvel e estabelecer suas estratégias a partir disso.

Busque respostas sobre o que ele faz no tempo livre e o que satisfaz esse consumidor. Dessa forma, você consegue definir suas características e formar categorias de clientes.

O marketing digital tem como uma de suas metas a criação de personas. Uma vez que essa é uma forma de, justamente, ter clareza de quem é o seu o público de forma bem específica.

Ou seja, você deve ficar atento a todos os detalhes, incluindo, idade, profissão, estado civil, estilo de vida, tamanho da família, dentre outros aspectos.

Invista em um bom atendimento

Quando estamos falando de um profissional que lida com vendas, o bom atendimento é essencial. Mas o que é um bom atendimento?

Podemos incluir diversas características para definir o que é bom nesse caso. Educação, profissionalismo, pontualidade, confiança, segurança e empatia são palavras-chave para um atendimento de sucesso.

Porém, para se destacar você precisa ir além dessas qualidades básicas. Portanto, invista em técnicas de negociações eficientes, envie propostas e ligue para conversar sobre elas com o cliente, ouça o que ele tem a dizer e organize todas as tarefas para evitar contratempos.

O uso de uma plataforma CRM, por exemplo, pode ser uma forma de organizar as demandas e as tarefas. Além disso, permite que você registre as informações de cada lead que você está em contato.

De todo modo, o cliente precisa enxergar valor na decisão. Por isso, é importante mostrar sempre os benefícios do fechamento do negócio e, em certos casos, até oferecer vantagens ou estímulos que ativem gatilhos mentais.

Nunca esqueça que o fechamento do negócio de forma honesta é o mais importante nesse processo.

Defina metas

Estabelecer metas é uma forma de controlar a sua produtividade em prazos pré-determinados.

Dessa maneira, você pode controlar os seus erros e acertos, podendo definir pontos de melhoria. Afinal, essa é uma profissão que tem muitas variáveis que influenciam no fechamento do negócio.

Por isso, ao definir as metas e analisar os resultados é possível compreender como essas variáveis tendem a funcionar.

Aposte no marketing digital

Falamos acima sobre a persona, que é parte da construção de um marketing digital eficiente. Mas esse conceito é muito amplo e exige um estudo mais aprofundado para ter domínio sobre todas as suas ferramentas.

O uso de redes sociais, como o Instagram e o Linkedin, e a produção de textos para blogs com dicas sobre o mercado, são caminhos eficazes para fortalecer o seu nome no mercado como corretor de imóvel. Assim, você consegue estar mais próximo do seu público.

Outra estratégia válida no meio digital é o envio de e-mail marketing. O e-mail pode sim ser uma forma de comunicação muito eficiente para alcançar as pessoas certas, aumentando as chances de conversão.

Quer receber mais conteúdo sobre o mercado imobiliário e a indústria da construção? Siga o nosso perfil no Instagram (@tcpsistemas).