fbpx

Desperdício de materiais na construção civil: como evitar?

Apesar da indústria da construção representar uma parcela expressiva na economia do país, o desperdício de materiais na construção civil é um fator preocupante e possui números elevados.

Isso significa que mesmo uma indústria de tamanha importância, ainda executa as suas atividades com falhas no planejamento tendo recursos mal aplicados.

Sendo assim, identificado esse problema, as empresas precisam se preocupar mais com esse gap tão comum no canteiro de obra. Até porque esse desperdício afeta o orçamento, resultando na qualidade do serviço e no atraso do prazo de entrega do projeto.

Por isso, neste texto, você confere:

O Impacto do desperdício de materiais na construção civil
7 dicas para evitar o desperdício de materiais na construção civil

O Impacto do desperdício de materiais na construção civil

Segundo uma pesquisa realizada, a tendência é que o número de materiais desperdiçados na construção civil só aumente até 2025. A estimativa é que sejam produzidas mais 2 bilhões de toneladas no mundo. Dados nada animadores, né?!

Esse número exorbitante afeta diretamente os custos no setor da construção civil. Considerando que assim como em outras áreas, a indústria já deve sofrer os impactos da pandemia, agora mais do que nunca é necessário se atentar ao problema do desperdício de materiais.

Porém, essa é uma questão que, majoritariamente, passa despercebida pelo fato do desperdício não ser contabilizado, assim parece não existir um valor que é perdido. Aço, telhas, tijolos, cimento, areia, pedaços e sobras de madeira são alguns dos materiais desperdiçados na rotina do canteiro de obra.

Além dos danos financeiros, existe uma outra preocupação: o destino desses materiais. Isso porque caso seja destinado de maneira inadequada, há grandes chances de gerar impactos ambientais, resultando inclusive no desperdício de água.

Desse modo, é importante que as empresas consultem as condições legais previstas na Lei n° 12.304/2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos e na Resolução de número 307 do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente).

Sendo assim, o desperdício de obra na construção pode ser considerado um problema em vários níveis, uma vez que interfere na produtividade da obra, no orçamento, nos prazos e ainda na sustentabilidade. Isso interfere diretamente na imagem e nas conquistas de uma empresa.

Entendo todo este cenário e os problemas que ele configura, muitas empresas têm se atentado aos fatos descritos e apostado em medidas que possam reverter essa situação. Dessa forma, a indústria pode trabalhar em prol do crescimento do setor, da empresa, do cuidado com o meio ambiente e, consequentemente, da sociedade.

7 dicas para evitar o desperdício de materiais na construção civil

As empresas da indústria da construção têm sido mais cuidadosas ao permitir que os profissionais envolvidos fiquem por dentro, entendendo mais detalhadamente do projeto e supervisionando as atividades no canteiro de obras.

Em geral, para solucionar esse ponto falho, a indústria precisa investir em melhorias constantes no que tange a qualidade do serviço, o que inclui o aumento das tecnologias de inovação.

Aposte em um planejamento racional

Sempre que possível relembramos aqui a importância do planejamento na construção civil. Quando existe um plano de obra, as atividades são direcionadas e realizadas da forma e no momento correto.

Agora, quando esse plano não é feito de forma racional e estratégica, divergindo da realidade, os desperdícios acabam acontecendo. Pode ser que a matéria-prima seja comprada em uma quantidade além do necessário, ou na data incorreta, por exemplo.

Esse segundo ponto deve ser levado em consideração para evitar que os materiais fiquem expostos no tempo durante muito dias, interferindo em sua qualidade. Já a compra atrasada interfere na produtividade da obra.

Sendo assim, o planejamento é o que pode evitar problemas como esse. Portanto, realize a etapa do planejamento com bastante atenção e cuidado.

Para ter uma visão ampla das necessidades, conte com diferentes profissionais que são parte do projeto no momento de elaboração do planejamento, incluindo além do engenheiro, o mestre de obra e o arquiteto, por exemplo.

Mantenha a organização do canteiro de obras para facilitar a logística

A organização permite que os profissionais entendam o que é material novo e o que foi utilizado. O próprio espaço de armazenagem dos materiais também é importante neste sentido.

Alguns cuidados práticos ajudam a estruturar a organização no canteiro de obras:

  • Empilhe tijolos e telhas para evitar que eles quebrem;
  • Coloque os sacos de cimento e a argamassa afastado de áreas úmidas;
  • Busque transportar os materiais delicados utilizando o carrinho de mão;
  • Considere as medidas necessárias para a realização de cada atividade, para evitar que seja produzido, por exemplo, concreto em excesso.

Seguindo essas dicas, os profissionais conseguem otimizar o manuseio e deslocamento, tanto de pessoas quanto de materiais. Assim, até a gestão do tempo fica mais organizada.

Adote padrões e aposte na transparência

Apesar da indústria da construção civil ser repleta de imprevistos e particularidades, que variam de acordo com cada projeto, busque adotar padrões que contribuam para evitar o desperdício e aproveitar mais o tempo. Quando o profissional já sabe o que fazer em uma atividade, tudo fica mais simples.

A própria comunicação entre os times ajuda a estabelecer esses padrões e fortalecer a transparência entre todos os envolvidos no projeto.

O uso de ferramentas que centralizam as informações em uma só plataforma, que é acessível a todos, fortalece a transparência entres os times. Os softwares ERP e CRM, certamente podem contribuir neste sentido.

Cuidado na elaboração do orçamento

Assim como o planejamento, a construção do orçamento é essencial para evitar desperdícios na construção civil. Destinar um valor em excesso para a compra de um determinado material pode gerar altos custos e ainda resultar em desperdícios.

Portanto, insira no orçamento, apenas o material necessário para que a obra seja executada.

Lean Construction e outras tecnologias para evitar desperdícios na construção civil

Acima foram citadas tecnologias que contribuem para a centralização das informações, mas além dessas, outras plataformas também ajudam a evitar o desperdício na execução de uma obra.

Um software de planejamento também contribui para a construção de um plano mais otimizado que prioriza as tarefas necessárias.

Assim, os gestores conseguem controlar o que está sendo gasto, sendo possível interferir antes que o desperdício, de fato, aconteça. Ou seja, permite uma tomada de decisão mais rápida e assertiva.

O próprio método do Lean Construction fortalece a indústria da construção civil, evitando que desperdícios aconteçam. Isso porque, essa filosofia prioriza as atividades que agregam valor.

Desse modo, desperdícios e processos desnecessários deixam de acontecer. O objetivo do Lean é tornar o fluxo de trabalho mais direto e claro.

As tecnologias móveis também ajudam na rotina diária da empresa, influenciando na comunicação interna, na gestão de obra e, consequentemente, podendo diminuir o desperdício de materiais.

Treinamentos para a mão de obra

Sempre que tratamos sobre desperdício, precisamos tratar sobre conscientização. Muitas vezes os profissionais que lidam diariamente com os materiais não sabem como cuidar de maneira adequada para evitar o desperdício.

Sendo assim, as construtoras e empresas da construção civil, em geral, devem investir no treinamento desses profissionais. Assim, em cursos e palestras, eles podem aprender a otimizar o uso das matérias-primas e descobrir como destinar os resíduos de forma adequada.

A participação destes profissionais no planejamento de obra, também é uma forma deles ficarem mais por dentro desse processo. Isso contribui para o melhor aproveitamento dos materiais.

Cuidar da armazenagem, validade e reciclagem dos materiais

Por fim, as construtoras e gestores devem estar atentos aos cuidados mais específicos dos materiais do canteiro de obras, contribuindo para a realização de um trabalho de qualidade.

Portanto, os colaboradores devem buscar entender as especificações do fabricante de cada material entregue no canteiro. Ou seja, os profissionais devem ler as embalagens dos produtos para garantir o uso consciente e adequado dos materiais.

Desse modo, após uma leitura atenta, além de diversos detalhes é possível observar a garantia de fábrica dos produtos e os prazos de validade. Assim, os insumos podem ser aproveitados no tempo correto e da forma correta, evitando desperdícios.

A armazenagem dos materiais também pode estar indicada nas orientações, uma vez que alguns materiais precisam ser guardados nas condições adequadas de ventilação e umidade, por exemplo.

Entendo que alguns insumos precisam ser descartados, os profissionais precisam saber como fazer isso da melhor forma possível. Isso porque muitos materiais podem ser reaproveitados através da reciclagem. Alguns exemplos são o alumínio e o cobre, além de muitos outros insumos.

Já pensou em como rever os processos da sua empresa para evitar desperdícios? Esse é o momento de fazer isso!

Para saber mais sobre a indústria da construção civil, acompanhe o nosso perfil no instagram.

Por que usar a metodologia SMART no mercado imobiliário?

Por que usar a metodologia SMART no mercado imobiliário?

Ter objetivos e metas bem definidas é um passo importante para traçar uma boa estratégia de venda para as incorporadoras. Por isso, a metodologia SMART no mercado imobiliário vem se tornando uma forma efetiva para colocar isso em prática.

Todo projeto precisa ser norteado para que as expectativas sejam criadas e realizadas. As metas S.M.A.R.T surgem com esse propósito, também mudando a forma de definir metas.

Sendo assim, o método que garante coesão e assertividade, permite que a sua incorporadora se diferencie da concorrência, justamente por incentivar que equipes tenham proatividade e um bom planejamento.

O que é a metodologia SMART?

Metodologia SMART no mercado imobiliário

As vantagens da metodologia SMART

O que é a metodologia SMART?

Antes de começar a abordar a metodologia em si, é importante compreender o que são metas e objetivos. Porque muitas pessoas costumam confundir esses dois termos que têm significados diferentes.

O objetivo está diretamente ligado ao lugar em que você pretende chegar. Pode ser definido como aquilo que você deseja alcançar. Porém, para obter sucesso com um objetivo você precisa ter planejamento e estratégia.

Sendo assim, ao elaborar um objetivo pense que ele precisa ser realista, ter um motivo relevante para existir e ter a possibilidade de ser mensurado. É justamente nessa última categoria que entram as metas.

As metas servem como um meio de você alcançar um objetivo final. Dessa forma, elas são a quantificação de um objetivo. Assim, para estabelecer metas é importante definir prazos e uma quantificação. Quanto mais especificações tem uma meta, mais fácil se torna definir um plano de ação.

Ou seja, apesar de possuírem significados diferentes, metas e objetivos são conceitos que se complementam e que devem fazer parte da nossa rotina diária para dar impulso às nossas ações.

Para aplicar isso de uma maneira eficiente surge a metodologia S.M.A.R.T. Um acrônimo em que cada letra representa um conceito, formando assim, as metas de cada categoria.

S: Specific (Específica)

A especificidade é a primeira característica do método. Como já falamos acima, isso facilita estabelecer um plano de ação. Por isso, ter um sentido específico, ou até melhor exclusivo é muito importante no momento de estabelecer metas. 

Seja claro para definir uma meta, assim todos da equipe conseguirão entender o propósito. Objetivos ambíguos e subjetivos dificultam a efetivação do processo.

Sendo assim, busque compreender: o que pretende alcançar, a importância da meta, qual setor vai colocar em prática e quais são as tarefas necessárias para alcançar tal meta.

M: Measurable (Mensurável)

Para você entender se uma meta foi alcançada ou não, ela precisa ser mensurável, certo?! Portanto, ao pensar em uma meta é necessário estabelecer meios para medi-la. Assim, você vai conseguir analisar e comparar os resultados, entender o que de fato funcionou e o que precisa ser modificado.

O indicativo de medida pode ser em preço ou porcentagem, por exemplo. Com esses números em mãos as empresas conseguem coletar e monitorar os dados.

Dessa maneira, nessa etapa questione: o que você espera como resultado da meta? Como devo medir o resultado? Qual número é positivo para esse resultado? Em quanto tempo preciso alcançar a meta?

A: Attainable (Atingível)

Não adianta criar uma meta que você sabe que sua incorporadora não irá alcançar. Portanto, crie metas atingíveis que possam te fazer elevar suas expectativas e sonhos. Ou seja, seja realista, mas não deixe de acreditar em objetivos maiores futuramente.

Quando você estabelece metas entendendo os recursos financeiros e materiais do seu negócio, você evita frustrações e aumenta a confiança e produtividade da equipe.

Sendo assim, para criar metas atingíveis busque compreender se a empresa tem condições financeiras para realizá-la, se a estrutura da empresa permite o cumprimento no prazo e quais são as diferentes formas para atingir essa meta.

R: Relevant (Relevante)

Qual a importância da meta para a sua incorporadora? Todos os setores entendem e acreditam nessa importância? O cumprimento da meta interfere no processo da empresa e contribui para o seu crescimento?

Essas são algumas questões que devem ser feitas para garantir se existe um propósito por trás da meta que você, junto com a sua equipe, pretende alcançar. Em geral, pense no que é prioridade para o seu negócio e foque nisso. Assim, as metas secundárias podem ser descartadas.

T: Time bound (Temporal)

Essa característica é necessária para evitar procrastinação e fortalecer o foco da equipe envolvida. Isso porque quando existe um prazo que define a previsão de entrega de uma demanda a determinação dos envolvidos acaba sendo maior.

Porém, definir esse tempo limite nem sempre é uma tarefa fácil. Por isso, considere a opinião dos colaboradores responsáveis pelas demandas e projetos antes de qualquer decisão de prazo.

Você deve questionar, de fato, quanto tempo é preciso para realizar a meta sem que diminua a produtividade e, consequentemente, a qualidade da entrega.

Metodologia SMART no mercado imobiliário

Uma incorporadora tem como principais objetivos, o comprometimento com os clientes e colaboradores. As metas SMART podem contribuir para que esses objetivos sejam alcançados constantemente, uma vez que o método apresenta um planejamento que culmina em oportunidade e crescimento.

As vantagens da metodologia SMART no mercado imobiliário

No dia a dia do trabalho, a metodologia pode garantir o sucesso das ações dos corretores, já que irá direcionar suas ações para que eles alcancem seus objetivos. Assim, a produtividade do serviço aumenta e os resultados de venda melhoram.

Ou seja, a metodologia SMART permite que um corretor crie e mensure as suas metas, garantido que o seu esforço seja efetivo a partir da criação de um bom planejamento de vendas. Dessa forma, a metodologia SMART:

  • Contribui para que o corretor tenha foco em sua atividade, já que ela irá elaborar metas específicas, mensuráveis, atingíveis, relevantes e temporais. Isso permite maior competitividade de mercado.
  • Permite a definição de métricas adequadas para o acompanhamento dos resultados.
  • Fortalece o seu posicionamento do mercado imobiliário, já que você passa a entender melhor como ele funciona, sabendo quais imóveis vendem mais para um certo público, por exemplo.
  • Auxilia na escolha das ferramentas que devem ser utilizadas para alcançar um objetivo. Assim você sabe se é preferível apostar em portais imobiliários, redes sociais ou realidade virtual. Sempre traçando essas escolhas, alinhando com suas metas.
  • Aumenta a produtividade, uma vez que as tarefas ficam mais coordenadas e com os objetivos mais claros.
  • Otimiza o tempo de execução e organização das ações das atividades.

Considerando todos esses aspectos, fica claro que a metodologia SMART é um facilitador na rotina dos corretores de imóveis. Com testes, atenção e dedicação você consegue atingir um dos objetivos principais, vender mais.

Para saber mais sobre o mercado imobiliário, nos siga no Instagram (@tcpsistema).

Como fazer uma boa gestão empresarial em home office?

Como fazer uma boa gestão empresarial em home office?

Quais são os impactos do home office na gestão de uma incorporadora? Como fazer a gestão empresarial em home office?

Essas são questões extremamente atuais que precisam ser analisadas considerando as particularidades de cada empresa.

Já são quase um ano e meio de pandemia no Brasil, uma questão de saúde pública que afetou diversos setores da sociedade. Considerando esse cenário, nota-se que no universo empresarial, o home office se tornou uma necessidade.

Mas, você já deve ter ouvido por aí que algumas empresas pensam em adotar esse modo de trabalho à distância, mesmo após o retorno presencial de todas as atividades. O que significa que esse modelo de trabalho também tem os seus benefícios.

Em contrapartida, outras empresas e profissionais, não estavam preparados para o modo de trabalho remoto e nem se adaptam com facilidade.

Isso pode gerar uma série de frustrações diárias. Dessa maneira, torna-se necessário compreender quais são os problemas enfrentados e quais são as possibilidades de melhora.

Assim, neste texto você confere:

Por que algumas incorporadoras não se adaptam ao home office?

Muitas tecnologias surgiram no mercado nos últimos anos, isso com certeza facilita a possibilidade de um trabalho remoto.

Porém, apesar de vivermos em uma sociedade cada dia mais midiatizada, temos que considerar que essa mudança também configura em uma outra rotina de trabalho, e consequentemente, em um outro modo de gestão.

Ou seja, não é “apenas” um momento de evolução de digitalização e modernização de processos. É uma nova realidade de trabalho que se relaciona com cada indivíduo de uma maneira.

Além disso, deve ser considerado também que não foi algo planejado e preparado, muito pelo contrário.

Sendo assim, algumas questões problemáticas que surgem são: as condições de trabalho, muitas vezes precárias, de cada profissional; a recessão dos lucros e a alteração no planejamento.

Outra coisa que pode atrapalhar é a tentativa de aplicação de uma gestão tradicional dentro desse novo modelo. O ambiente digital solicita um outro modo de operação. Ou seja, os processos internos e externos devem ser revistos e adaptados para esse modelo de trabalho à distância.

Quais são os desafios?

  • Dificuldade na comunicação entre as equipes, pois apesar de todos os recursos digitais, acaba não sendo a mesma coisa;
  • Falta de controle do horário, ou seja, não é possível saber se o profissional se dedica o tempo combinado ou tempo suficiente ao trabalho;
  • Equipes desmotivadas, pois além do momento conturbado, as interações diárias que podem servir como motivação deixam de acontecer com a mesma frequência;
  • Problemas para acessar tecnologias, afinal nem todo colaborador tem um excelente sinal de internet, ou todas as máquinas e programas necessários para exercer a sua função dentro de casa;
  • Baixa produtividade, que pode surgir em decorrência da falta de motivação ou por não ter um ambiente de trabalho adequado;
  • Dificuldade em gerenciar uma equipe.

Desenvolvendo uma boa gestão empresarial em home office

Sabendo quais são os problemas que surgem dentro deste cenário específico de trabalho, é hora de saber como otimizar a gestão empresarial no home office.

Para isso, um passo importante é a compreensão da necessidade de adotar um novo método, distinto do tradicional.

Sendo assim, apesar das pessoas exercerem o mesmo cargo, as aplicações são bem diferentes em cada cenário. Então, de fato, não adianta o gestor tentar forçar os mesmos métodos do ambiente off-line em um ambiente online.

Nesse sentido, busque entender quais são suas prioridades agora e a relevância dessas prioridades dentro do contexto. Verifique também se é possível mensurar essa prioridade por trabalho remoto e qual é a melhor forma de realizar isso.

Outras dicas para reformular a gestão empresarial no home office:

  1. Defina as suas metas: isso ajuda a controlar a proatividade e produtividade das equipes, incentivando que os colaboradores possam contribuir em prol de resultados positivos. Para elaborar metas objetivas dentro da sua incorporadora, se inspire no conceito de Metas S.M.A.RT;
  2. Escolha plataformas que permitam uma comunicação direta: essa é uma forma de evitar problemas na comunicação entre membros de uma equipe e até diferentes times. Utilize, por exemplo, ferramentas como whatsapp e uma plataforma CRM, ou seja, priorize o acesso simples e seguro;
  3. Auxilie o seu time: exerça a escuta ativa e entenda as demandas do colaborador. Além disso, forneça as ferramentas e equipamentos necessário para que o seu colaborador possa entregar os melhores resultados;
  4. Faça reuniões síncronas constantemente, tanto da equipe completa quanto individualmente. Assim, é possível ter um controle maior de como está a produtividade e os resultados de um time;
  5. Automatize o workflow, ou seja, o seu fluxo de trabalho: dessa forma, você pode personalizar os processos internos e externos, categorizar etapas, inserir responsáveis específicos para tarefas e projetos de forma rápida e eficiente.
  6. Mantenha a equipe informada: mais do que nunca é necessário manter o time todo unido. Portanto, tente informar sobre a situação e os resultados da empresa. Isso evita especulações e a pode diminuir a ansiedade dos colaboradores com o destino da empresa.

Planejando uma boa gestão empresarial em home office

O cuidado com o planejamento é tão importante que merece um tópico especial. Além de ser a base inicial de qualquer projeto empresarial, o time precisa de um bom planejamento para conseguir guiar a jornada de trabalho.

O planejamento orienta processos e resultados no que tange as entregas, metas e a produtividade. Neste cenário, tente realizar planejamento mensais, quinzenais e até semanais para ter um controle maior da situação.

Outro ponto importante é a participação de toda a equipe na hora da elaboração. Assim, você oferece oportunidade para que todos falem sobre suas próprias ideias.

Também permite que os colaboradores levantem questões e apontem, caso exista, falta de clareza ou incompreensão do planejamento. Ou ainda, questione a relação do planejamento com as metas traçadas pelos gestores.

Sendo assim, cada membro da equipe consegue, a partir disso, desenvolver suas tarefas com segurança e eficiência dentro do prazo solicitado.

Após a realização do planejamento, é necessário que os gestores voltem o seu olhar para monitorar os resultados das atividades realizadas.

Além desse planejamento amplo de projetos de tarefas, especialmente em home office, é interessante organizar um planejamento do trabalho para o dia seguinte. Ou seja, ao final do expediente já deixe anotado o que precisa ser feito no próximo dia.

Ferramentas e técnicas

Já falamos um pouco sobre a importância das ferramentas de comunicação como Whatsapp, mas claro que é importante utilizar outras plataformas que podem ajudar na organização. O que também influencia em uma comunicação objetiva.

Dessa maneira, você pode criar canais diferentes de comunicação para cada projeto sem se perder em meio a outras mensagens.

Uma solução que contribui para essa organização, além de trazer outros inúmeros benefícios para a sua empresa é a utilização de ferramentas ERP e CRM.

Ainda pensando em organização, comunicação e gerenciamento de tempo, destacamos aqui o uso da “Técnica Pomodoro” como possibilidade. Um método que busca gerenciar o tempo de trabalho focado em trabalho e descanso.

A proposta, normalmente, é justamente alternar trabalho e descanso . Assim, você fica 25 minutos trabalhando e tira 5 minutos para relaxar. Esses tempos podem variar de acordo com cada tipo de trabalho. Mas, claro que o tempo focado no trabalho deve ser maior que o de descanso.

O Forest é uma ferramenta que auxilia na gestão de tempo que pode contribuir para a sua organização de trabalho em home office.

Com o fim da pandemia, existem algumas empresas que já decidiram seguir trabalhando de forma remota, outras pensam em adotar o modelo híbrido, mas certamente muitas empresas retornaram normalmente para o presencial. Tudo depende do que funciona melhor para a sua empresa.

Gostou do conteúdo? Nos siga no instagram (@tcpsistemas) e receba todas as nossas atualizações.